Sexualidade sofisticada?

Como permanecer dividida entre a inocência, ambição e futilidade? O coração necessita de qualidades materiais, apenas? A satisfação pessoal está atrelada, somente, na riqueza social? Baseado no livro de Truman Capote, eis o filme clássico Bonequinha de Luxo: um exercício cinematográfico de pura feminilidade e carisma. Audrey Hepburn cicatriza sua personagem Holly Golightly com tamanha suavidade, beleza e elegância - extremamente dócil, sonhadora e sem maldade, cativa por ser altamente apaixonante. Fica subentendido que é uma garota de programa, sutileza dotada de muito requinte no roteiro atenuado. Inclusive, a bissexualidade da protagonista foi exclusa do filme, tornando suas ações, ainda que leves, dúbias. Porém, não compromete a trama. O luxo da riqueza é a única vertente da vida? O amor pode anular e reavaliar tudo? O sentimento é pago? Que tal tomar cafés da manhã em frente à famosa joalheria Tiffany's - daí o título original. A premissa é simples: Holly é uma prostituta de luxo, mora sozinha em um apartamento, vive apenas em companhia de seu felino. Sonhando em se casar com um milionário, a reviravolta: conhece, por acaso, o jovem escritor Paul Varjak, interpretado com muito charme pelo saudoso George Peppard. Rapidamente, ambos desenvolvem uma intensa relação de afeto, delicadeza e muita química por identificação. Ele, assim como ela, é sustentado em troca de favores sexuais. Inesperadamente, ambos atraídos um pelo outro. Um amor entre uma prostituta e um gigolô pode perdurar? Como aceitar as causualidades da vida? O trunfo de do diretor Blake Edwards foi a humanização dos personagens: Holly e Paul não são vistos como promíscuos apesar do círculo de luxúria no qual estão inseridos. A proposta de Capote teve a densidade condensada com a adaptação para o cinema, mas as alterações no enredo junto à promissora parceria excepcional de Audrey Hepburn e do diretor fizeram da trama um clássico, com direito à canção Moon River, escrita exclusivamente para a voz da atriz — que nunca havia estudado canto. O resultado é um filme com ares de conto de fadas moderno - suave, conflitante, mas, sobretudo envolvente, intensamente sofisticado.

38 opinaram | apimente também!:

Paulo [ALT] disse...

O que comentar de um filme como esse? Que vc conseguiu escrever direitinho o que eu senti qndo assisti. Vc percebe de fato como chega a ser sutil esse leveza.
Segundo filme com a audrey que assisto e mais uma vez fiquei espantado. Fiquei com vontade de ler o livro, ainda q seja bem diferente. E moon river ficou excelente. A abertura eh fantástica.
Ainda quero fazer um post sobre esse filme, que passei pro top da minha lista dos "ainda tenho q assistir" graças a vc, e não me arrependi. obrigado pela dica tempos atrás, hehe.
abração

Mero disse...

seu texto sempre exato .parabens
abraço.

Marcelo Mayer disse...

já fez parte de minha prateleira. agora anda com pouco de poeira. vou voltar a assisti-lo

Allen Walker disse...

Menage a trois ótimo .... =P

[M]. Atahualpa disse...

Velho, acho que tudo depende do estado de espírito de cada um. O meu por exemplo, tá estéril.

Mas isso não vem ao caso, amor ou a falta dele são cogitados sim independente de se ter riquezas, de ser puta ou de ser um dondoca pobre ou rica. Tudo diz respeito a valores, e valores independem de opções feitas em atitudes tomadas ou a serem tomadas na vida.

Paz aê mano!

Luh* disse...

Nóssa esse filme é um dos melhores!
beijos

Júnia L. disse...

Capote pensou em Marilyn para este filme e não gostou das adaptações que foram feitas no filme. Pelo que sei na versão do autor Holly seria lésbica, mas a censura não permitiu muita ousadia.
Acho que Audrey está impecável no papel da garota de programa mais charmosa da história do cinema. Ela consegue ser doce, meiga, fútil, inteligente, insensível e sensível ao mesmo tempo.
Perfeita!!!!!

Renan disse...

Vejo em Bonequinha de Luxo um filme que usa a sexualidade apenas como premissa. Dentro do enredo e da ótima atuação de Audrey esse fato fica perdido.

Luís disse...

Eu realmente acho que Bonequinha de Luxo é um filme muito cativante. Audrey Hepburn está charmosa e sua união com Peppard torna o filme ainda mais estiloso.
Não vejo uma temática sexual centralizada; acredito que a sexualidade é um plano de fundo, cenário para as relações dos personagens.
Um filme bonito e encantador, ao qual adorei assistir.

Caio Abreu disse...

Adoro esses filmes ambientados em 1900 e bolinhas... mais um otima dica sua que vou querer ver

Abçs

Bom final de semana!

contatos imediatos disse...

Assisti ao filme por intermédio de um amigo, fã incondicional de Audrey!

Dentre os três que me emprestou, "Bonequinha de luxo" foi o que mais chamou minha atenção, foi o que de fato me fez querer saber mais sobre essa atriz tão aclamada que encantou toda uma geração!
Excelente texto, dica preciosa!
.
Aproveitando a visita, mas mudando completamente de assunto, gostaria de convidá-lo a participar de uma discussão proposta pelo "contatos imediatos": COMPARTILHAMENTO X PIRATARIA! (Assunto polêmico!)

Deixo o link do post abaixo para que possa manifestar sua opinião, que tenha certeza, será muito bem-vinda:

http://dapoesiaaocaos.blogspot.com/2009/10/quinta-do-caos-compartilhar-x-piratear.html

Te espero lá.
Apolinário Júnior.

Willian Lins disse...

Ah, esse filme é um clássico que dispensa comentários. Muito bom.
Sucesso aqui no apimentário, Cris!
Cada dia que passa você só melhora.

Abraço, pequeno!

Extase disse...

me deu vontade de ver o filme e ler o livro, amno o Capote.

Lorena disse...

Nunca assisti, mas Capote é o gênio do conto!

Ps.: Também quero a exclusividade no meu blog, como o diamante do seu blog.
Ficou ótimo!
Beijos

Reinaldo Glioche disse...

É a cinderela de Capote... Filme belíssimo. Desde a trilha sonora marcante até os modelos usados por Hepburn. Além da história do filme em si, que vc brilhantemente capturou com seu comentário.
Álias, quero agradecer-te por marcar presença lá no meu blog. Valeu pela força Cristiano.
Abraços!

Victor Raphael disse...

Audrey Hepburn é linda *-*
Adoro os filmes dela...

Palatus disse...

Vou assitir-lhe!
Obrigado pela visita lá no Palatus. Abraço,
te sigo!

Liana disse...

E a lista de filmes que tenho que ver e livros que tenho que ler está cada vez mais apimentada.

Natacia Araújo disse...

Ah filme clássico! Adoro esse filme!

Carolina disse...

Audrey é Audrey e ponto.

Bissexualidade? Não vi isto no filme vou ter que rever, depois de várias vezes, pra achar isto nas entrelinhas...Novos olhares, outras percepções. rsrsrs

Um dos melhores filmes dela com certeza.

bjos e bom feriado

Marlon Vila Nova disse...

Nunca vi esse filme... morro de vontade.
Agora mais ainda.

Cintia Carvalho disse...

Oi Cris!

Meu jovem, vc acredita que no mesmo dia que vc postou seu texto eu tinha acabado de comprar na Americanas o DVD dele. Uma coincidência que como diz uma amiga minha "trasmississão de pensamento"....rsrsrs.

Eu sou fã incondional desta maravilhosa atriz. Audrey Hepburn era elegange, carismática, delicada, suave, doce.

Neste aqui que considero um de seus melhores trabalhos, atuou muito bem ao lado de George Peppard. E vc descreveu de forma elegante todo o contexto do filme.

O tema é bem interessante e foi desenvolvido sem agredir aos rígidos padrões de Hollywood daquela década. Embora fale sobre uma prostituta, a pureza de seu personagem cativa e nos encanta.
Belo.

Ótimo e parabéns pela escolha.
Perfeita.

Um abraço.

Dewonny disse...

É o meu filme favorito da Audrey!
Parabéns pelo excelente texto!
Abs! Diego!

Adrielly Soares disse...

Nossa que demais. Acredita que ainda não vi? Mas fiquei com uma vontade imensa de ver, ouço falar muito bem, claro , é um classico do cinema.
OBrigado por ter ido no blog. Gostei muito do seu tambeém. Já sou seguidora.
BEIJOS.

Andréa Mota disse...

Muito bom comentário. =)

Depois de quase 20 aparições na minha tela, este filme encabeça o rol dos meus guardados. Sou fascinada pela simbologia que ele desembrulha no "gato", na cigarrilha, no coque, no "ken" disfarçado de escritor.

boa pedida!

Rodrigo Mendes disse...

Eu acho que é sofisticada SIM!

Adoro este filme do Blake Edwards Cris. Tbm é meu diretor predileto.

Abs!

Norberto Marques disse...

Oi Cristiano :)

Passei para lhe desejar um bom fim de semana e deixar o meu abraço.

Norberto

Paulo Braccini disse...

realmente um verdadeiro conto de fadas ... envolvente mesmo este filme assim como sua forma de se expressar ...

bjux

;-)

Jay e Alê disse...

Cristiano,
Pra mim é sempre um desafio comentar em seu blog. Não sou daqueles que comentam simplesmente, gosto de enteder tb. Esse desafio claro é dado ao seu alto profissionalismo, que nos incita a querer ver ou ler sobre o que vc fala. Lendo essa sinopse hoje. Eu não só fico com vontade de ver. Como gostaria de poder responder pra mim mesmo as perguntas de seu texto>>O amor pode anular e reavaliar tudo? O sentimento é pago? como entender as causualidades da vida?<<
Enfim Mais uma ótima dica sua. Já era pra ter feito a tempo mas quase sempre deixo pra depois. Mas hoje vou te linkar, assim poderei acompanhar as novidades daqui com mais assiduidade.
Abraço e bom feriado.
Jay

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Conflitante e suave ao mesmo tempo? Estou tentando figurar isso rs.

ótima crítica sua, adoro esse filme, adoro o minimalismo da obra, as sutilezas dúbias e inclusive, o olhar obliquo de Andrey.

Bom, passa lá no Cinemótica!

Abraços.

Rafael Lopes disse...

Eita, quanto tempo não passo por aqui heim.

Tudo certo??

abraço

FELIPE G2 disse...

Adoro a Audrey Hepburn em My Fair Lady e ainda quero ver Bonequinha de Luxo...

Larissa Araújo disse...

Tenho o filme aqui em casa há uns dois anos, mas ainda não assisti. Sempre acabava colocando outros na frente da lista ehehehe

Mas agora vou tomar vergonha na cara e assistir logo! eheeh

bjuw

Guilherme Bandeira disse...

Olá,

Obrigado pelo comentário, estou seguindo seu blog, muito maneiro!

Abraço!

Guilherme Bandeira
www.olhaquemaneiro.com.br
www.fandangossuicida.com.br

Amanda Aouad disse...

Audrey Hepburn é a grande cinderela de sua época, gosto de Bonequinha, apesar de não ser meu preferido dela. A cena final com direito a chuva, gato e beijo é linda. hehe.

Elisangela Batista Barbosa disse...

Esse filme é tão lindo! Ela é a coisa mais querida e sedutora. A relação dela com o escritor desenrola-se de maneira tão pitoresca, uma delícia. Ótima dica de filme.

Bj,
Elis Barbosa

Juliana Góis disse...

Bonequinha de luxo é ultra futil.E tenho dito.

Alan Raspante disse...

Cara, Bonequinha de Luxo é meu filme preferido !
A sutiliza do filme é incrível. E Audrey ?
Sem comentários !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses