Sexy Psycho

Psicopata Americano polemiza o que há de mais pervertido no ser humano. O filme, baseado no livro de Bret Easton Ellis, contextualiza o mais horrendo panorama sobre uma sociedade predestinada à psicopatia sexualizada. A trama foca em Patrick Bateman, um típico executivo de Wall Street. Para todos ele é apenas um bon vivant, rico e com o emprego satisfatório. Através da narração em off o argumento é evidenciado: Patrick mascara sua própria índole, personalidade e atitudes. A narração centraliza a sua ironia, seu veneno escorre e pensamentos ácido-irônicos expressados, puro humor negro internalizado. Seu hobbie perfeito? Assassinar todos que ele odeia, pois não suporta competição nas amizades, profissional e até nos relacionamentos promíscuos. Como um indivíduo tão megalomaníaco e egocêntrico pode ser tão invejoso? Patrick é o sarado safado, ousado profanador, tarado noturno. Altamente elegante, inteligente e politizado - sabe conversar sobre qualquer assunto, tem fetiche por móveis claros, vídeos pornôs e lava suas roupas ensangüentadas na lavanderia mais próxima do bairro. Vive imerso num cotidiano de luxo, falsas aparências e dissimulações sentimentais. O consumismo impera com plena futilidade a sua órbita social. Evidentes hábitos? Exímio ativo da alta sociedade, tem vício em jantar nos mais variados restaurantes da cidade - exerce sua boemia pervertida sexual - e escolhe o prato para a acompanhante da noite para depois descartá-la e cheirar cocaína em banheiros de boates luxuriosas. Adora comandar, dominador intransigente. Maiores prazeres? Ouvir The Lady in red de Chris de Burgh pra meditar no escritório do trabalho, praticar musculação e assistir ao mesmo tempo O massacre da serra elétrica e convidar, com sua limusine, prostitutas loiras para orgias em seu apartamento privê.

Eis a carnificina de luxo logo após. Patrick é frio, calculista, tem certa aptidão para o ódio e a ausência de tato passional constitui sua frieza de caráter. O interessante da trama é que o roteiro é muito bem construído: observamos a sede de loucura por sangue, o estado letal e doentio do psicótico Patrick. É totalmente metódico, com distúrbios obsessivos compulsivos e venenosos. A máscara da sua sanidade está prestes a ruir? Ou nunca existiu?

A cena que Patrick corre atrás de uma prostituta, nu em pêlo, com apenas a serra elétrica causa um assombro indescritível. Com seu corpo másculo escultural, vaidade evidente e carisma sedutor: incorpora perfeitamente o yuppie bem-sucedido. Seu paradoxo é transitar entre sua aparente vida perfeita e sua existência banal firmada no caráter mais horrendo. É sádico e sua psicopatia vitima prostitutas, homossexuais, mendigos e animais. Toda a construção psicótica do personagem é uma minúcia cirúrgica. O longa tem como pilares um dos sete pecados capitais: a avareza, a luxúria e a vaidade - obviamente, imersas na contextualização da psicopatia de Patrick.

Toda a película tem uma estética elegante, fotografia discreta e a trilha sonora é a base de violinos sinistros. O roteiro é o carro-chefe da produção, intensamente magistral, mas o mérito é de um Christian Bale totalmente soberbo personificando o personagem principal: seu tom de fala, gestos e expressões que somatizam com um olhar enigmático causam transtorno, delírio e interpretação efervescente. O final-reviravolta fortalece o espetáculo cinematográfico. Uma pequena obra-prima.

37 opinaram | apimente também!:

Paulo [ALT] disse...

Eu ainda acho que discutir o post com o próprio autor em tempo real é bem melhor, rsrs, mas enfim... Li seu post direitinho sim, Cris! A primeira coisa que eu reparei foi o título. Sexy psycho, gostei. A segunda foi saber do livro. Te juro que eu não sabia. Você que me deixou alienado agora, rs. Você tem esse livro? Eu acho ele na internet pra comprar? Voltando... Eu não sei se sou eu que tô pensativo hoje ou sei lá o que... mas prestei bem atenção na parte do "uma sociedade predestinada a psicopatia social". Psicopatia já é uma palavra bem forte, e se misturar com o conceito de máscara da sanidade que você jogou logo depois... quem é "normal" na sociedade? Isso assusta.

Comprei o dvd descompromissadamente porque estava barato na época e fui assistir sem muito ânimo, mas não é que me surpreendi? Nesse quesito sim é uma "pequena obra-prima". As cenas que você colocou implicitamente no texto, lembro de todas elas, inclusive da música Lady in Red, haha. Bem irônico isso até. A fotografia como vc citou é discreta.. mas aquele tom noturno [desculpe se estou falando besteira, faz tempo que não assisto] com uns avermelhados torna o filme com classe.... hum... aquele final, que deixa qualquer um mais pensativo ainda. Mas não deixa com vontade, ainda assim, de pedir pra ele um daqueles cartõezinhos da firma, haha.

Mais um que não foi "básico" haha
mesmo não sendo um comentário mto técnico ou que sirva pra alguma coisa
gosto qndo posso colocar o que achei de algo que já vi
e ver pela sua visão tb
se torna especial
mais

Abraço meu Amigo! ^^

paganus blogger disse...

Oh ! valeu pela visita amigo espero de ver de lá de novo em moço.
Mais aqui, nao vi o filme ainda mais vou ver so para "MATAR A
CURIOSIDADE"

Parece um filme interessante, tando na abortagem cinematografica quando ma social comportamental.


afiado nas palavras, direto, um...objetivo... típico de um jornalista

Te sigo... como me dize!
abraço... e voltarei com tempo pode ter certeza q sim.

Rodrigo Mendes disse...

Um filme slacher chique!

e olha que o papel foi oferecido para Leonardo DiCaprio,magina! Ele não teria o corpo de deus grego do Bale e você provavelmente nem apimentaria.

Toda vez que assisto Psicopata Americano fico pensando: porque não fizeram este filme antes?

Que premissa!

Gilson disse...

Cris

Eu não assisti, mas me pareceu bem forte, sendo tecnamente bem feito como você falou, deve ser um filmaço e ainda por cima toca uma de minhas músicas preferidas "Lady in red". Maravilha.

Abs

Marcio Melo disse...

Eu sou fã de Christian Bale, e não é só por Batman. No filme "O Operário" sua atuação e entrega ao papel simplesmente assustadora

Roberto F. A. Simões disse...

Ainda não vi esse filme. Dá para acreditar? Só me lembro de ver umas cenas há uns anos, na TV, mas nada de mais. A rever!

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD - A Estrada do Cinema

Drigo disse...

dpois d tantos posts, vou ter q ver o filme tb. deve ser otimo.
abçs

Serginho Tavares disse...

sou louco pra ver esse filme
por causa do Chris, óbvio
rs

Amanda Aouad disse...

Vi esse filme quase por acaso em uma madrugada na Globo, veja só. hehe. É um bom filme, forte e Christian Bale dá show.

Ah, viu o selo que deixei pra você no CinePipocaCult?
bjs

Luciano Carneiro disse...

Cara, seu blog é um máximo! Eu já tinha visitado algumas vezes, e a cada vez que venho aqui gosto mais. Parabéns messsmo!

Gema disse...

Ainda nao vi este filme :S
Mas qd leio os teus textos fico sempre com vontade em ve-los LOOOL
Bjs

Hugo disse...

Não sou expert em literatura, mas acredito que Brett Easton Ellis foi o escritor que melhor escreveu sobre os yuppies da década de oitenta.
Pena que outras obras dele renderam filmes apenas medianos como "Abaixo de Zero" e "Nova York - Cidade em Delírio".
Este "Psicopata Americano" é com certeza sua melhor adaptação tendo como ajuda a grande interpretação de Bale.

Abraço

Erica Vittorazzi disse...

Acho que vou gostar do filme. Ele tem perfil mesmo de invejoso.

Obrigada pelo elogio do meu blog!!

André disse...

poxa acho que vou gostar desse filme. psicopatas me interessam.
eu adoro a palavra megalomania. principalmente a musica megalomania do muse. ok? foi bom pra vc?
:P

Rafael Cotrim disse...

que vontade de assistir '-'

Fotograma Digital disse...

O melhor filme sobre yuppies...

MELHOR: feito ainda nos anos 90, quando a modinha anos 80 não estava por todos os cantos do planeta rsrs.

MELHOR 2: Melhor atuação de Bale, um degrau acima de O Sobrevivente e dois de Batman-Dark Knight.

MELHOR 3: deliciosamente perverso, inescrupuloso e um chute no saco com força.

MELHOR 4: underated, enquanto coisas como Slumdog Millionaire foram hypadas ao ponto de encher a paciencia, até daqueles que gostaram do filme.

MELHOR 5: Chloe Sevigny ... até fazendo ponte de luxo, ela é marcante.

Abraço !

paganus blogger disse...

jáz aqui eu de novo meu caro,desda vez em tom de ajuda, de peço que me indique ou mostre com fazer para de seguir, não encontro o link e ainda tenho que me acostumar com essa sua pagina, rsrsrrs....

Bom aguardo a ajuda!
Abraço....

Mandy disse...

O filme retrata bem a compulsão dele, é só matar, matar e matar kkk!

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

o Brasil é uma paraíso de gente como opersonagem pricipal do livro, seria bons filmes se por aqui o diretor estivesse por uns tempos

bruno knott disse...

curto bastante esse filme, e quem muito colabora para isso é o cristian bale. o cara é um dos atores mais ecléticos que existem, pena que parece ser metido pra caralho.

teve um momento na sua descrição do persoangem do bale que me fez lembrar de DEXTER, claro, são persoangens com motivações diferentes, mas existem semelhanças...

ou to viando pra caralho!

abração

Larissa Araújo disse...

Caraca! Preciso assistir esse filme!

J.B disse...

Já havia ouvido comentário sobre este filme, por sinal muito bons, mas nunca me motivei a realmente assisti-lo, bom agora vc realmente conseguiu despertar a minha curiosidade, vou assistir e quem sabe até volto para fazer comentarios verdadeiramente conciêntes sobre o filme?! rs... ah e te sigo. vc realmente merece que eu siga. o blog é muito bom!

Mescla de culturas disse...

Apesar de não ser um grande filme.É um bom motivo pra ficar acordado em alguma madrugada dessas da globo...rs
abraços

Daniel Braga disse...

Ui.. adorei. Quero ver o filme *o*

~Até a próxima, visita meu blog hein ;)

*DB*

LuEs disse...

Na minha humilde opinião, a beleza apresentada no seu post consiste basicamente da sua interpretação e não necessariamente do que o filme mostra.

Os únicos elementos bem descritos nas cenas do filme são o culto à própria imagem e o glamour da riqueza. Patrick Bateman é um Narciso proposital - sabe que é bonito e insiste na exibição dessa beleza, sem remorsos e sem controle. Acredita que deve ser venerado, que todos devem querê-lo. Com dinheiro, compra as pessoas ao seu redor.

O filme, porém, permeia por caminhos estranhos ao mostrar a relação entre Patrick e o seu instinto assassino. Não dá pra saber ao certo o que é verdade e o que não é. Quando o filme termina, a mais clara sensação é de que tudo era muito simples e foi estruturado de modo complexo ou que havia um amplo campo de abrangência e foi analisado somente o que parecia mais conveniente. Assim, Psicopata Americano torna-se apenas um filme mediano, sem personagens ou cenas marcantes, totalmente esquecível.

"Toda a construção psicótica do personagem é uma minúcia cirúrgica".
Acho que essa análise provém mais de você mesmo do que daquilo que o filme mostra.

Nekas disse...

A eterna procura pelo prefeccionismo e o paralelismo de duas vidas.
American Psycho é brilhante por si só
Bale é só mais uma coisa...

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Idelbrando disse...

Obrigado pelos elogios cara.
muito bom o seu blog. Consegue conciliar uma linguagem poética com comentários inteligentes sobre filmes belíssimos, clássicos da musica e outras assuntos muito interessantes.
Parabéns.

Abraços

O Homem Que Sabia Demasiado disse...

Bale está magnífico. Mas o melhor papel da vida dele é do filme "O Maquinista", o tal thriller kafkiano em que emagreceu quase 40 quilos.

Cleber Eldridge disse...

Particularmente dispensavel!

Pedro Antônio disse...

Realmente o seu blog é um grande sucesso!

Parabéns pelo cuidado na escolha do conteúdo! Ah, o blog é muito estiloso também!

Um abração! Tudo de bom, meu caro Cris! :)

Te espero na Torre.

Pedro Antônio

Tiago Marin disse...

Muito interessante seu comentário! Gosto deste filme, e Bale está sensacional em todos os sentidos!



Estou aqui para avisar que o Cinefilando fará um liveblogging do Globo de Ouro amanhã a partir das 22:30!

Abraços!

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Salve, salve Cris!

Então, finalmente voltei das minhas férias furtivas e resolvi pegar novamente no batente. Como foi seu ano novo?

Enfim, Psicopata Americano é um prazer promiscuo do ser humano que gosta de presenciar uma vilania tao promiscua e insensivel como o do personagem Patrick. A linguagem do filme contextualiza muito bem a audácia vilanesca e a nenhuma importancia dada pelo psicopata.

O seu texto está realmente completo, um dos melhores textos, percebi que resolveu fazer uma sondagem mais visual do filme, e a destreza de suas palavras transmitiu na medida certa a sua opiniao sobre o filme.

Abraços, colega!

PS: Em breve, postarei a minha primeira postagem de 2010.

Cintia Carvalho disse...

Oi Cris!

Vi este filme uma única vez há alguns anos em tela quente. Na época o achei forte e as cenas me impressionaram. A frieza do personagem e sua total falta de humanidade demonstram o quanto existem pessoas a nossa volta que são capazes de matar sem dó e nem compaixão. Christian Bale se saiu bem e seu ar gelado e frio combinou com o papel. Daí, sua boa interpretação. Não sou fã deste ator e de todos os filmes que vi com ele até hj, este é o único em que atuou bem. O resto, me perdõe são atuações fracas e sem carisma.

Você falou bem do filme e descreveu as características básicas de um psicopata de forma correta. Tudo que vc falou sobre ele, mostra que existem homens e até mulheres a nossa volta que matam por prazer e não sentem absolutamente nada ao fazerem isso. Rezar para nunca nos depararmos com um ser assim.

Inclusive, ontem estava assistindo a um programa na TV a cabo (não me recordo o canal) e foi apresentado um especial com os 10 melhores serial killers do cinema e o personagem de Bale ficou em 10º lugar.

Um bom filme que vale a pena ser visto.

Um beijinho.

Madame Lumière disse...

Ótimo texto, Cris. Você conseguiu usar as palavras certas para transmitir esta vida dupla de Patrick. Ele é um exemplar clássico da psicopatia revestida de uma máscara social. abs!

railer disse...

faz muito tempo que vi este filme. valeu relembrar! abraços!

AlexSupertramp disse...

Excelente crítica mais uma vez Cristiano. O filme em si é genial. E Bale dá uma das melhores prestações da sua carreira.

Abraço

Juliana Góis disse...

Christian Bale é ou não é um clone do Scott Disick marido da Kourtney Kardashian?hahaha
idênticos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses