Sexualizando estigmas

Almodóvar propõe um extraordinário exercício narrativo, concebe um argumento apurado com o auxílio do visual arrebatador. A polêmica? A premissa é o ajuste de contas, é a crueldade nua e crua da realidade do mistério do sexo. Má Educação é a concepção magistral da seducão: nos enquadramentos, nas cores da fotografia, na arte de filmar, na montagem criativa ou na sensível e a arrepiante trilha sonora. Há um Gael García Bernal expondo sua masculinidade extremista em conjunto de olhares, gestos e corpo despido - além da própria atuação acentuada, provocativa. A película é uma obra única, também graças a este elenco impecável. Os personagens provocam repulsa e admiração, tudo ao mesmo tempo. O universo Almodoviano é de pura beleza conceitual, a sensualidade está relacionada também nas cores que ele transmite e no roteiro não-linear. É um filme dentro de um filme. Ápices polêmicos: homossexualidade, pedofilia, denúncia e traições. O filme sofre várias mutações. Homens que se tornam mulheres, personagens que duplicam identidade, restando amantes dos antigos amantes pra vingar-se deles, se matam, se amam. Homens sem escrúpulos, escravos dos seus desejos. É um estudo sobre a homossexualidade, sobre as manipulações da sexualidade, sentimentos de amor e ódio em fúria, contradições humanas e contexto da pedofilia. O que esconde o estranho desejo? Muita polêmica conceitualizada por um Almodovar inspirado com sua clamorosa película. O sexo é o argumento, mas o amor é forte aliado. É um filme que remonta as memórias da infância, mas cuja rememoração só se torna possível dentro do próprio corpo da infância. É curioso que em Almodóvar, memória, corpo e infância estejam muito bem entrelaçados neste filme. É uma tríade de constantes perigos, que envolve tentações e inacabamentos, acessos e interdições. Temos assim uma relação intrigante e bela entre sexualidade e religião, entre corpo e pecado. Mas nessas difíceis relações não encontramos nenhuma causalidade fixa e esclarecedora. Almodóvar parece estar mais preocupado com os vestígios e as deformações que marcam nosso corpo e nossa consciência. E esses vestígios se mostram exemplares na figura do padre que parece ser uma sombra pesada que acompanha toda formação da criança. Almódovar trapaceia com o pecado para que ele se desloque nas memórias e nos desejos. E o pecado é apenas uma tentação para narrar sobre os desejos e as identidades perdidas. O filme não deixa de ser uma plena metáfora sobre o desejo que teima em se realizar e do qual só se livra após a bendita consumação. A paixão é um sentimento que pode ser temido, embaçado e velado através da hipocrisia da instituição? A realidade trincada com a imaginação, em plena mistura que se confunde, entre passado e presente, expressa os sentimentos frustrados e os desejos mais complexos dos personagens. Através de seu olhar apurado, abordagem contundente, proporcionado pelo filme: Almodóvar corajosamente reafirma e firma o seu repúdio contra o silêncio dos que se consideram alheios as violências sofridas por inocentes. Violências essas que transformam e penalizam.

38 opinaram | apimente também!:

Paulo [ALT] disse...

cara gostei do seu jeito de falar desse filme embora só tenha visto o trailer eu acho, ou algumas cenas... pra falar a verdade nunca assisti nada do Almodovar... vi um box especial na Saraiva com 4 filmes dele e deu vontade de comprar mesmo nunca assistindo.
[ps. gostei do novo layout, mudou neh? acho q nessa mudada eu tinha deixado de ser seguidor pcausa do sistema do blog, "eu acho", mas agora jah arrumei, sou seguidor de novo]
abraçooo ^^

Guto Angélico disse...

Muito bom post! Sou fã tanto do Almodovar, qnto do Gael e este filme realmente é incrivel, adorei como falou dele. Parabens

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Fiquei curioso agora para assitir!

Muito obrigado pela visita e pelo comentário!
Forte Abraço!

Lu1000 disse...

Gostei muito desse filme.

x Padilha' disse...

Menino eu preciso ver esse filme!
rsrs

Parece excelente! Nao só por ser do Almodovar, mas por todo o tema tratado.

Abraço

Gabriel Von Borell disse...

Muito obrigado pelo comentário lá no blog ! Espero que tenha gostado das resenhas . Gosto muito do Almódovar , mas ainda não vi este ! Dizem que é bom . Qualquer hora assisto .

Abraços .

Roberto F. A. Simões disse...

Magnificamente encenado e com uma mise-en-scène que é um primor, o filme de Almodóvar é uma concepção magistral de sedução! É o meu favorito de Almodóvar, juntamente com CARNE TRÉMULA. 5*

Setembro é o mês de Almodóvar lá no CINEROAD & companhia. Visite-nos!

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD – A Estrada do Cinema

Sαbrinα disse...

obrigada *-*
to te seguindo tambéem (:

bom dia :*

Ives Nelson disse...

Agradeço a visita e o comentário!

- Má Educação é um filme muito tocante mesmo. As obras de Almodóvar como um todo, tendem a despertar em quem assiste sentimentos e sensações muito específicas e às vezes até secretas. Muito boa a sua resenha e o espaço! Voltarei mais vezes!

Rodrigo Mendes disse...

Ótima resenha.

Nada combate este espanhol, sua obra é genial.

MÁ EDUCAÇÃO é cheio de surprezase o fato de ser um filme contando o drama da infância dos garotos até metade da fita foi um artifício magnífico.

Abraço.

Paulo [ALT] disse...

vlw cristiano, gosto mto daki tb, vc escolhe posts com assuntos q me interessam d verdade cara. e gostei do "culturalmente venoso".
sumo naun, se eu num postar, sei lah, pelo menos venho comentar.

[ps. colokei a resposta do desenho lah, vc acertou hehe]

abraçoo!

Amanda disse...

Má Educação é mesmo um grande filme, um dos melhores de Almodóvar. O jogo metalinguístico é muito bom.

Olha, pra não dizer que sumi, hehe, tem um selo pra você lá no blog.
bjs

Rafael Lopes disse...

Sumiços a parte, olha voltei!!, rss.

Cristiano, sumi mesmo heim, nossa correria total estes últimos dias, não sei como estou em pé ainda.

Mas logo volto na ativa por aqui.
Gostei da indicação do filme, irei assistir.

Ah, nao vai me aceitar no orkut??
abraçooo

Juliana disse...

Esse filme é um dos melhores de Almodóvar.Embora meu favorito seja Mulheres A Beira de Uma Ataque de Nervos e Tudo Sobre Minha Mãe.Gael da um show nesse.

Marcelo Augusto Cetreus disse...

Estou apimentando aqui. Hm, Almodovar é sempre persuasivo, mas eu estou começando a ser intolerante quanto suas obras. Ainda o acho um gênio, mas acho que é melhor ele lançar mão em outros focos, sabe? Abrazos Rotos está vindo, espero que, apesar da sinopse, seja uma inovação no seu histórico de direção.

Má Educação tem uma boa argumentação e eu gosto do estilo alardista do filme, mas, sejamos franco, o filme poderia ter sido um pouco melhor.

Te sigo, gostei muito do espaço tambem, belo layout. Adicionei voce na minha lista de blogs.

Abraços.

Fred Pimenta disse...

É um excelente filme do Almodovar, e um dos meus preferidos, junto com Tudo Sobre Minha Mãe.

Ele consegue pegar o mínimo da universalidade das coisas e fazer uma explosão de sentimentos, de nuances, de cores. Faz a gente acreditar que na pele das personagens faria a mesma coisa.

Valeu pela visita.

Fred Pimenta disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Crispi. disse...

Nossa, fiquei com muita vontade de assistir!
Beijos, e obrigada pela visita :*

it was RED - Para quem gosta de cinema disse...

Almodóvar é genial, gosto de toda sua obra.

@italojunior disse...

Eu assiti esse filme ano passado, adorei! Apesar de ter pesado quando eu vi, "Eu sabia que o gael era viado!" (rs).

Ótimo texto, você escreve muito bem.

Ciro Hamen disse...

Muito bom! Assim como quase tudo do Almodovar!

Abraços!

Dauri Batisti disse...

To passando por aqui. Vejo que aqui há coisa interessante de se ler.


Um abraço.

Rafael Costa disse...

vermelho
laranja
amarelo
vermelho
vermelho
vermelho bordô
vermelho mais escuro

junior coelho disse...

Almodóvar é um ícone, mas que bom que seja associado com qualidade. Má educação é dos seus melhores e mais polêmicos filmes. Seus personagens são intensos, suas rodagens cheias de surpresas. Quem choram são travestis, putas, doentes dados por mortos e fantasmas que contam suas histórias. Tudo é tato,cheiro e hesitações. Seus filmes arrancam sorrisos das paredes coloridas, lágrimas de abraços dados na praça, choques de uma história escrita ao avesso. Resta chegar ao fim e dar de cara com a v r e a d a d e.
Abração...adorei o post.

Júnior Coelho disse...

Almodóvar é um ícone, mas que bom que seja associado com qualidade. Má educação é dos seus melhores e mais polêmicos filmes. Seus personagens são intensos, suas rodagens cheias de surpresas. Quem choram são travestis, putas, doentes dados por mortos e fantasmas que contam suas histórias. Tudo é tato,cheiro e hesitações. Seus filmes arrancam sorrisos das paredes coloridas, lágrimas de abraços dados na praça, choques de uma história escrita ao avesso. Resta chegar ao fim e dar de cara com a v r e a d a d e.
Abração...adorei o post.

O Iluminado disse...

Show de bola!
Já vi esse filme e recomendo!
To te seguindo amigo!
abração!

Caique Gonçalves disse...

Vi há um bom tempo esse filme. Embora não seja o melhor trabalho de Almodóvar, tem méritos indiscutíveis. Um dos melhores longa-metragens que abordam essa temática.

Franklin Catan disse...

Cara realmente tu escreve umas coisas que não tem como descrever, está de parabéns realmente tbm esse Almodóvar é um cara fora do sério os filmes dele pelo amor de Deus, são filmes para quebrarmos a cabeça e ficarmos horas assistindo..
Abraços !! e obrigado pelas visitas no meu!

(Carlos Soares) disse...

Almodóvar é muito bom

Ryan disse...

Eu ainda não vi! Mas fiquei bem curioso...

Ygor Moretti Fiorante disse...

Valeu pela visita, gostei bastante de Má educação, e estarei acompanhando por aqui tb abraço!!!

contatos imediatos disse...

Almodóvar é um sinônimo forte para o provocativo!

Tenho "Má educação" na minha coleção, um filme bem perturbador assim como "A lei do desejo" e tantos outros do cineasta...

Parabéns pelo texto.

Apolinário Jr.

Luís disse...

Definitivamente, um dos melhores filmes de Almodóvar - pelo menos, dentre os quais eu assisti. Vê-lo é realmente uma adorável sensação, pois percebemos o empenho de todos os elementos - atores, diretor, fotografia, cores - em uníssono a fim de proporcionar ao espectador uma brilhante crítica ao submundo corrupto da Igreja, no qual a proprina não é dinheiro, mas sim sexo.
Uma frase magistral do filme:
"Não se ama uma criança de 10 anos. Isso se chama abuso!"

Acabei de vê-lo e confesso que estou surpreso, realmente admirado com o argumento.

Reinaldo Glioche disse...

Almodóvar em grande forma!

Rodrigo Mendes disse...

500 anos depois, apimento aqui, rs!

Este é o melhor filme deste espanhol.
A trama paralela e o contexto vivo, nu e cru da premissa.

Tudo é excitante, misterioso e a cada vez que assisto tenho um olhar diferente.

A cena em que Gael interpreta Montiel é marcante.

Abs!

Renan disse...

Ta aí um filme bom, muito bom.
Almodóvar é sensacional.

Clenio disse...

Não consigo entender como algumas pessoas podem não gostar de MÁ EDUCAÇÃO. É visceral, passional, uma aula de roteiro, trilha sonora e atuações. Uma música que lembra os Bernard Herrman de Hitchcock e uma edição primorosa.
Uma pequena obra-prima (mais uma) de Almodovar.

gabriel disse...

assisti o filme sábado e pensei: caralho, é a cara do apimentário!
belo texto, conseguiu passar bem o que o filme retrata.
abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses