Amantes solitários?

Como é amar uma mulher e não ser correspondido? E como é ser amado por outra e não desejar esta? Amantes, de James Gray: um exercício da necessidade de ser amado. O filme foca no solitário Leonard, um homem em desequilíbrio amoroso, sofre de transtorno bipolar e com tendências suicidas - tão logo conhece sua nova misteriosa vizinha, Michelle, apaixona-se intensamente. Contudo, é apresentado a meiga Sandra, pelos pais. Eis a questão: Sandra ama Leonard, este só tem olhos para Michele. O filme tem um aspecto de naturalidade: os diálogos contextuam um cotidiano, os personagens são confusos e há um forte clima de tristeza amorosa, presente no filme todo. Como não sofrer perante às desilusões da vida? Como conquistar alguém que se ama? O amor é a salvação para aridez da depressão? O filme tem um ritmo lento, as situações ocorrem gradualmente, sem clichê conceitual. A fotografia discreta, elegante e incomum de Joaquín Baca-Asay concebe um tom melancólico-existencial aos personagens, determina um clima frio e expressa uma moldura de solidão. Absolutamente emocional, cru e sentimental - o filme também apresenta uma Nova York sem cores, sem glaumor. O elenco, sem vícios e esteriótipos, contextualizam personagens reais, naturais e intensos. Joaquin Phoenix, possivelmente seu último filme, tem um desempenho soberbo como um homem solitário rumo à satisfação amorosa. Gwineth Paltrow, Vinessa Shaw e uma inspirada Isabella Rossellini (a mãe de Leonard) desnudam personalidades femininas, magistrais. O amor avassalador pode provocar a felicidade instantânea ou a dolorosa decepção, rapidamente. Amar é sofrer? O filme é drama humano, profundo e impetuoso.

51 opinaram | apimente também!:

Lorena disse...

Filmes melancólicos são os que mais atraem público. (?)
Amar é um turbilhão de coisas que só que sente sabe.
Quem se identificou vale a pena assistir!
Beijos

Gilson disse...

É esse circulo que sempre acontece quando o relacionamento não está indo bem e ao invés de gerar diálogos e buscar soluções, procuramos uma escapulida que pode se tornar uma grande paixão e nos fazer no final sozinhos.

Boa dica sumido.

Abs

Paulo [ALT] disse...

um filme que eu não assistiria logo de cara, não achei tanta coisa qndo li a sinopse etc. acho que veria mais pelo atores mesmo já que.. hum.. ainda tenho outras prioridades na minha lista pra assistir rs. achei fiquei curioso com o q escreveu, o fato dele ter transtorno bipolar e com tendências suicidas. e pena q ele não quer mais atuar e mudou de aparência.
abrass cris

Paulo [ALT] disse...

hey.. ps: não assistiria logo de cara pelas sinopses alheias, não pela sua hehe.

Luis Adriano disse...

São tantos os elogios a esse filme que anseio por vê-lo. Não o encontro, porém, disponível nas locadoras daqui. Definitivamente, sua resenha reforçou a minha necessidade em conhecer o filme.
Eu particularmente não sou muito fã de Joaquin Phoenix nem de Gwyneth Paltrow. Acho-os bem bobinhos. Ele só se destacou em Johnny e June; ela nunca se destacou - e ainda roubou o Oscar de Fernanda Montenegro!
Mas, como eu disse, são tantos os elogios que não posso simplesmente não conferi-lo.

Tão logo que o vir, virei aqui comentar.

Jay e Alê disse...

Amar e ser amado na mesma intensidade é complicado e depois se prender a modelos de amor clichè torna a relação fazia de significado real.
Gostei da sinopse e da forma como vc instigou-nos, vou ver sim, o amor em suas mais diversas facetas me fascina e me mostrar possibilidades de encarar a vida sem tanto medo das perdas necessárias na vida sentimental...
Abraço nosso.

Isabella disse...

Oi! Que bom que me visitou e gostou...!

Uma honra receber um elogio seu... Andei por aqui e seu blog é muito bem escrito e lindo, parabéns...

Voltarei!

Um beijo!

Ilana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ADEK disse...

De reparar a nossa Amália a cantar em fundo, numa das cenas:)*(nice blog!)

Marcelo Mayer disse...

esse filme foi um espelho pra mim por muito tempo. não preciso dizer os motivos hehehe

abraços cara!

Júnia L. disse...

Segundo comentário de blogueiros proximos que fazem comentarios interessantes sobre este filme. Vou assistir e depois volto para comentar tá bom!?

Abraços!

passe depois no Vintage você sumiu


=)

Angélica Lins disse...

Que bom que cheguei até seu espaço.
Achei muito interessante!
Volterei ...
Abraço!

Angélica Lins disse...

Que bom que cheguei até seu espaço.
Achei muito interessante!
Volterei ...
Abraço!

Flavio Dutra disse...

Obrigado, Cristiano, pela visita ao meu blog. Agora eu tbm te sigo.
Um abraço.

José Minervino Neto disse...

Deu vontade de ver o filme. Gosto de melancolia.

P.S.: Obrigado pelos elogios ao meu blog. Sigo-te, também. Abraço!

Ricardo Mainieri disse...

Cristiano, obrigado pela visita a meu blog e pelo comentário.
Aqui em Porto Alegre tenho um colega, engenheiro, que se chama Paulo Contreiras e é de Salvador. É teu familiar?
Interessante saber que te identificas com o que escrevo. Sou mais velho do que tu e isto me dá uma noção de que meu modo de produção poético está sintonizado com o tempo presente.
Valeu!

Ricardo Mainieri

Ciro Hamen disse...

Esse filme é um verdadeiro clássico! Um dos melhores deste ano.

Abraços!

Mero disse...

adoro os dois atores vou ver pena que não vi na locadoras vou dar uma procurada .

Andréa Mota disse...

vontade de assistir...

depois de ler seu texto, lembrei de um filme que vi o extremo oposto do desenvolvimento deste. Um amor sóbrio, humano, complexo. "Os guarda-chuvas do amor". Tens que ver.

Ele tem um fim inesperado. Nos engana diante do arsenal de estereótipos que ele aprisiona na tela.

Li teu texto sem respirar... =)

Andréa Mota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Andréa Mota disse...

até escrevi sobre o tal filme

http://egotrincheiras.blogspot.com/2009_08_01_archive.html

Hugo disse...

Esta é a terceira parceria entre o Joaquin Phoenix e o diretor James Gray.

Quanto a aposentadoria de Phoenix, a história é tão maluca que não dá para saber se é verdade mesmo.

Abraço

Rafael Cotrim disse...

Ainda não consigo gostar de cinema... Mas juro que vou tentar e essa seria uma boa escolha!

Thales Capitani disse...

.

Tenho o péssimo hábito de procurar filmes pelos atores ( totalmente pueril eu sei ) e tenho esse mal com a Gwyneth e essa foi uma boa surpresa quando o assisti depois de tantos tropeços que ela deu na carreira! rss
Two Lovers é mesmo muito, muito bom, problemática singela levada de maneira totalmente diferente pelo diretor

Júnia L. disse...

Cristiano,

me desculpe, achei que você estáva perguntando da figura histórica (kkkkk).
Concordo com vc, Rainha Cristina com Greta Garbo é tudo, ela é uma deusa!!!!

Andréa Mota disse...

meu bem (posso chamar assim? é costume meu), duas coisas:

sobre o orkut, quando chegar em casa te adiciono sim. =)

sobre os peixes,
1º) entra nesse site - http://abowman.com/google-modules/fish/

lá vai ter um link chamado "edit setting", clica nele pra personalizar a cor dos peixes, da comida e do fundo.

feito isso.. logo em baixo tem um tal de "obter e partilhar", escolhe a opção "blogger", clicado aparece "manter tamanho atual ou redimensionar" ... isso fica a teu critério. O tamanho atual é o mesmo tamanho dos peixes do meu blog.

Passando isso tem uma historinha chamada "blogger sidebar". Escolhe essa. Ai, na janela seguinte aparece "adicionar a conta" ou "copia e cole este URL". Escolhe esse. Ai, vais abrir a página do blogger de adicionar witget. Ai é só renomear, posionar depois e... correr pro mar. \o/


Falei muito ne.. espero que ajude.

Mais uma coisa,
sobre mudar muito de cara do blog, é que tava procurando um rosto pra ela. Temporariamente, este me satisfez. Mas, sabe como é, somos muitos em um dia.

rsrs

- Peter disse...

Eu adorei o filme, mas ficou irritado com os 2 minutos finais. Sei lá, achei que ele lambusou um pouco um trabalho genial.
Gosto de filmes que eu consiga me identificar, e esse conflito do personagem do Joaquim é o mesmo meu. haha

Eu tenho o duplo da cor púrpura também hahah Adoro.

Adorei seu blog, de verdade. Favoritei já

Caique Gonçalves disse...

Já há um bom tempo eu estou querendo ver este filme! Embora não traga grandes novidades dá para perceber que é o mais do mesmo!

T1460 disse...

É um filme que não despertou meu interesse quando foi lançado, e provavelmente continuará assim!

Cris França disse...

adorei teu post, acho que deve valer a pena anotada a dica, abraços!

Júnia L. disse...

Deixei um selinho para vc no meu blog, nao sei se vc gosta destas coisas...mas, tá lá.
Se interessar é so pegar

bjo

Ausência Instável disse...

Vim brigar com vc primeiro !!!
Não me visita e nem responde no orkut ...

Búúúúa, o que há Heim?Rsrsrs

Bom, sempre indicando os filmes que realmente mostra a realidade.

E sempre bom passar um pouco por tudo, e assim aprendemos a si lidar conosco mesmo.

Aparece, beijao!

Reinaldo Glioche disse...

Belo artigo Cristiano. É justamente essa a questão levantada pelo filme de James Gray. A complexidade de um sentimento tão intrínseco a nossa humanidade. Aqui tá o link para a minha critica lá no meu blog. Depois dá uma olhada. Abração!

http://claquetecultural.blogspot.com/2009/09/critica-amantes.html

Pedro Rodrigues disse...

Bom, pelo menos a história e o elenco prometem... =)

Gostei do teu espaço, fundamentalmente porque sou um amante do cinema.

Passarei por cá mais vezes certamente.

Abraço

Pedro Rodrigues disse...

É verdade, pertenço também a um blogue de critica jornalística, no entanto com a divergência de ser aplicada essencialmente ao público português. No entanto, se quiseres dar uma olhadela serás bem vindo igualmente. Gostamos de promover as nossas próprias montagens e fazemos crónicas também.

Deixo-te então o endereço:

http://www.rectaagravar.blogspot.com/

Alline disse...

Hummm... vou atrás desse filme.

Ótimo texto o teu!

R. disse...

o tema parece ser bem banal em filmes. amores nao correspondido. mas a forma intensa com q vc discorre sobre o filme dah ateh vontade de assistir p ver qual realmente eh. rs.
um exercicio interessante...

e sim, amar eh sofrer... quem não sofre por amor??? mesmo o correspondido...

Rodrigo Mendes disse...

Cris,

tem uma frase do Edgar Allan Poe:

" Só eu amei o amor de meus enganos."

Sobre o filme ele é lento mesmo eu particularmente gosto da Vinessa Shaw, que deveria ser uma atriz mais em evidência. Ela tem um papel muito legal em "De Olhos Bem Fechados" como uma prostituta aidética que quase teve um lance com o Tom Cruise.

Sou fã da Rosseline também, grande estrela, já a Paltrow nem tanto mais e o Joaquin phoenix tem talento, ele teve um "Tchutchu" na carreira mais volta...

Abs!

Bela resenha

hperson disse...

Eu espero, de coração, que este não seja o último trabalho de Phoenix. Ele é muito bom e este filme é dele. Quanto ao desfecho, acho que na verdade o que todo mundo quer de alguma forma é ser amado e sentir-se seguro. Vai que de repente se aprende a amar também.

Paulo Braccini disse...

depois do comentário do Jay e Alê qualquer coisa q eu disser fica repetitivo ... eles falaram tudo o que eu queria dizer aqui ... parabéns pela indicação, pela forma com q abordou a sinopse do filme ... parabéns tb a Jay e Alê pela felicidade na escolha das palavras ao comentar aqui ...

bjux

;-)

Renan disse...

Gosto dos atores principais, mais do Joaquin Phoenix doq eu da Gwyneth Paltrow pois não consigo tirar da mente a persoangem dela em O Amor é Cego. Em Jhonny e June achei a voz de Phoenix bem bonita.
=D

Boa resenha /o/
Mudou o layout? Ficou melhor e a mais bonito

Cintia Carvalho disse...

Oi Cris!

Ótima crítica. Ainda não vi, mas, pretendo assistir. Gosto de filmes com esta temática. O amor e nossas pequenas desilusões e dores, tão comuns em nossa vida.

Adorei saber que a Isabela Rosselini aparece por aqui. Eu a considero uma boa atriz e há muito tempo não tenho escutado falar nela.

Tb sou fã do Joaquin Phoenix.
E fiquei curiosa sobre o que falou dele. Vou procurar para saber o que houve.

Um abraço.

Dewonny disse...

Belo filme, gostei bastante, Joaquin q é muito bom ator, tem uma atuação formidável, adorei o roteiro, muito bem escrito, sob uma direção competente de James Gray. nota 8.0!
Abs! Diego!

Diana Valentina disse...

é o tipo de filme que eu não deveria ver. mas verei. rs.
só pra ter mais certeza. ou dúvida.
um beijo!

Life_and_Feeling disse...

Obrigado por estar me seguindo e pode ter certza que faço das minhas palavras as suas!!! adoreiii e volte mais vezes viw

Abços


RoÔ

Paulo Vitor Cruz disse...

valeu pelas palavras, cara... fiquei todo bobo aqui qdo li... risas...

seu blog é massa demais... tô lendo outras postagens suas aqui e tô curtindo... vou virar seguidor seu tbm...

abs-ão.

Allen Walker disse...

Caraca amo este blog, muito massa, e tu escreve muito bem.... quero uma dicas de resenhas hsuhsuhsuhs.......rsrs abraços, Se continuar assim terei de ver todos estes filmes ai ai

Mandy disse...

Super legal seu blog tb. Tô seguindo!!!

A orfã eu gostei do fim, n gstei do início!

Larissa L. disse...

Olá Cristiano!
muito legal a crítica que escreveu, nunca vi esse filme, mas tem cara de ser bastante interessante!!
Obrigada pela visita no meu blog! Apareça sempre!
Como vc o descobriu?!rss...

um beijo e até!

DILERMArtins disse...

Mas bah, guri.
Ainda não vi o filme, mas quero ver, depois do seu post.

Amanda Aouad disse...

A velha história de um que amava outro que amava outro e etc ganha aqui uma roupagem bela e poética. Gostei muito de Amantes, filme denso, faz pensar.

Quanto a aposentadoria de Joaquin Phoenix, parece que é mesmo verdade.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses