Uma estranha no ninho?

Qual motivo faz uma garota, com a juventude plena, decidir se matar? A morte em sua reflexão-existencial e aprofundamento psico-depressivo é o mote do livro Veronika Decide Morrer, de Paulo Coelho. Como uma garota qualquer: sem perspectiva no emprego, nos relacionamentos amorosos e no âmbito estrutural familiar - Veronika tenta o suicídio como fuga, tenta se livrar da dor. Falha e sobrevive. Ao se deparar num hospital mental, a notícia: seu coração, afetado, determina apenas uma semana de vida. É dentro de Villete, um controverso hospital psiquiátrico, que aprende a vivenciar cada milagre diário de vida, cada vivência experimental de amor. Conhece pessoas - Zedka, Mari, Eduard (com este ela tem uma relação de amor, ódio e masturbação) - e lida com as próprias adversidades de seus sentimentos, há muito trancafiados no âmago. Veronika aprende a ter prazer incondicional, liberta-se sexualmente emocional e, numa completa auto-descoberta, vivencia o seu despertar. Confinada na "clínica para loucos" é que vive a tortura do aguardo da morte. Ser louco é viver intensamente ou não ter medo dos atos? Qual sentido da loucura? Às vezes, é necessário agir com desordem e com apreço por atitudes passionais. Veronika valoriza a vida, pois a morte é um alerta diário, cada dia é um a menos na sua trajetória, diante dos danos irreparáveis, o agora é uma bomba-relógio prestes a parar de funcionar.

O livro determina uma reflexão sobre o desprazer de viver, da solidão que devora a alma humana e a maneira como a tristeza pode destruir qualquer aspecto da felicidade íntima. Há uma exaltação pela esperança de se viver, pois o enredo argumentativo e narrativo do livro tendencia uma compreensão sobre as próprias fragilidades: como acender a chama da paixão pelo ato de existir? Como sentir prazer nas pequenas coisas que concretizam um cotidiano? Como acordar do próprio coma da depressão?

Há diálogos que provocam uma contextualização sobre o universo da síndrome do pânico, esquizofrenia, depressão e suicídio. Veronika morrerá ou apenas é criado um artifício para a valorização da vida? Qual finalidade da relação da loucura com a sanidade? O livro exerce esse paradoxo, o discurso é compreender que nem tudo que é estabelecido pela sociedade é verdade universal. Eis Veronika Decide Morrer, a história realista de uma luta interna entre o desejo de viver e o desejo de morrer e aquilo que se aprende quando não se tem nada a perder... ou assim se pensa.

26 opinaram | apimente também!:

LuEs disse...

Eu me lembro de que quando saiu a notícia de que seria adaptado o livro e fariam dele um filme, eu resolvi ignorar o asco que sinto por Paulo Coelho e lê-lo.

Descobri que se trata de uma narrativa legal, cuja personagem principal é carismática. A situação pela qual ela passa nos obriga a pensar em como reagiríamos se o mesmo acontecesse conosco.

Eu não acho que a estrutura do livro seja realmente muito boa. O que me agradou nele a situação vivida por Veronika e não a escrita de Paulo Coelho - que, aliás, é superficial. Na sua resenha, você disse que o livro proporciona uma reflexão sobre o desprazer da vida, etc., mas eu acho que é apenas a tentativa frustrada de suicídio e a condenação a viver esperando a morte que causam esse efeito em nós, porque, em suma, o autor, muito disperso, divaga sobre tantas coisas que acaba não aprofundando sua atenção em Veronika, uma personagem que definitivamente poderia ser marcante na literatura.
Acho realmente que você se excedeu ao definir esse livro, que é interessante, mas que está longe de ser o responsável pelas reflexões pelas quais passamos - uma breve notícia de jornal que contasse a história de alguém que tentou se matar e não conseguir talbez repercutisse da mesma maneira em nós.

Apesar de não gostar da narrativa pobre de Paulo Coelho - e também das várias tentativas que ele faz de se incluir na história -, eu acho que vale ler o livro, pelo menos para depois poder comparar com a obra cinematográfica - que nem sequer é nacional!

LuEs disse...

Nossa, não tinha reparado no título do post.
Usar esse livro para fazer alusão a um excelente filme?! Que ofensa.

Juliana disse...

Paulo seempre faz isso, nos leva ao confronto interno, em quase todas as obras, ainda não li Veronika, mas com certeza faz juz aos outros livros..

Elaine Barnes disse...

Uma bela história, não conhecia o livro. Antigamente lia Paulo Coelho, depois, passou. Respeito muito a obra dele e o considero uma pessoa muito sensitiva e especial, senão com certeza não estaria aonde está.
Venho de uma família de suicidas,na verdade tem 5. Duas mais importantes, minha prima e minha mãe.
Gostei da maneira como colocou. Parabéns! Assim que puder lerei o livro. Feliz Natal e um abração!

Bruno Linhares disse...

Também cogitei a possibilidade de ler só pra acompanhar ao filme.
Não espero muito de Paulo Coelho, não...Mas Verônica aparenta ser um dos melhores trabalhos dele.
Apesar da discordância ali em cima de alguém que já leu o livro.Eu posso admitir que a crítica, pelo menos, tá muito bem desenvolvida.
Abraços

Lara Amaral disse...

Se fosse para eu escolher uma resenha sobre esse livro, com certeza seria a sua.

Vc escreve muito bem e sabe se expressar claramente.

Adorei ver este post, pois gostei muito do livro.

Beijos.

Paulo [ALT] disse...

Sabe, Cris, rs, ainda tenho que te dizer que compartilho do asco do Luis, infelizmente. Antes, sim, era um preconceito eu dizer isso por nunca ter lido de fato. Mas minha vó gosta de alguns dos livros dele e tardiamente li alguns contos e um pouco de um. E que edições péssima tb hein? De alguns. Enfim, não gostei. kkkkk São coisas interessantes até, mas o estilo de composição... não sei, não engulo. Ah, eu acho que ele se acha perfeito, pronto falei rs. Mas ainda assim não sou qualificado pra falar muita coisa da obra dele, não. Eu sei, rs.

Sobre a trama eu gostei. Principalmente pela parte que você deixou em aberto se ela ia morrer mesmo ou não, já que eu não li. Fiquei aqui pensativo "será que entendi certo??"

É tão ruim não ter opnião sobre algo pq ainda não viu. Por isso que saio atrás das coisas por curiosidade. [tudo bem que a notícia da adaptação para o filme deu mais curiosidade que o livro em si kkk]

Post das discussões esse?? hahaha
Mas tá ótimo, excelente.
Abraço meu amigo!

Palatus disse...

Desde que comecei a me enveredar pela literatura, achei a escrita de P.C. insuportável, mas como gosto não se discute, evitava comparações com autores clássicos e contemporâneos. Não li este livro, mas vou lê-lo...quem sabe não encontre algumas boas qualidades no autor?

abraço

Cleber disse...

bem-ruim né?

Larissa Araújo disse...

Eu gostei bastante desse livro, já li outros do Paulo Coelho, esse com certeza deve ser o melhor. Quero muito assistir o filme pra comparar.

Marcio Melo disse...

Não gosto mesmo de Paulo Coelho, por isso nunca me interessei em ler este livro dele, ou muito menos ver o filme que lançaram baseado neste livro acho que este ano.

Eu já li 2 livros dele, só para ter certeza que não era birra ou tinha escolhido seu pior livro, mas infelizmente, ou felizmente, não gostei mesmo de sua narrativa.

Thomaz Ribeiro disse...

Primeiramente vim agradecer suas palavras em meu blogue. Estou muito agradecido mesmo. Olhei o seu espaço e me sinto admirado com a verdade com que você escreve, revelando a sinceridade e a profundidade de suas palavras. De fato, um espaço onde a escrita é de qualidade, artigo raro. Para não perder nada daqui, fiz questão de linkar o endereço daqui.
Abraços.

thiagomiota disse...

Tudo menos Paulo Coelho

Dil Santos disse...

Oi Cristiano, tudo bem?
Menino, eu já ouvi muitos comentários sobre esse livro, ainda ñ o li, talvez entre em minha lista, rsrs.

Abraços
:)

Marília Marques disse...

Com veronika, Paulo soube realmente passar através da reflexão sobre a morte o grande valor da vida. Revela como tb valorizar o cotidiano; as pequenas coisas que dão vida aos dias.

Como diz Hagamenon Brito: ''Os dias precisam de motivos.''

Um bom livro, de um autor mediano e lido há muito tempo.

Parabéns pela boa resenha.

Mero disse...

eu realmente adoreino fato de voçe fazer uma critica de um livro do paulo, cuntudo achei os comentarios superficiais e preconceituosos.

KG disse...

Que nos anos vindouros possamos ter mais Paz em nossos corações!
Que a humanidade possa compreender a não existência de continentes, países, etnias, culturas e religiões... Somos todos Irmãos e seres humanos! Apenas isso...

Um Feliz Natal e um ano maravilhoso a vc e a todos esses incríveis blogueiros que, junto conosco, nos ajudam a melhorar o mundo de alguma forma!



"What Do You Say?(What Do You Say)
Will The Human Race Be Run In A Day? (In A Day)
Or Will Someone Save This Planet We're Playing On?
Is It The Only One? (What Are We Going To Do?) "

Pipes Of Peace


Bjs e abraços, KG

Abraão Vitoriano disse...

é um bom livro, e digo sem dúvidas que ele retrata de alguma forma o "milagre diário de vida"... é um tapa na cara daqueles que absorvem verdades e acham que o fim resolve tudo... Veronika aprende que para ser gente não é preciso tanto quanto imagina, não é necessário emprego ou roupa bonita ou namorado de luxo, para que o riso venha a tona basta se libertar... e a vida é louca e boca como nas músicas do Raul, como nas letras de Vinícius, e na presença boa de Dercy Gonçalves...

abraços,
e sinto falta sua em meu espaço...

boas festas!
fica com Deus!

JaqueFonseca; disse...

Esse eu li, como apaixonada que sou pelas obras do Paulo Coelho, e adorei! A Veronika é a personagem principal mas nunca esqueci do Eduard, é o menino filho do político que se tornou esquizofrênico ao ver a família contra seu namoro, não é? Acho que é.. Já faz tanto tempo.

Guará Matos disse...

Lhe convido para ler as duas publicações que edito:

JORNAL AFOGANDO O GANSO/ http://afogandooganso.blogspot.com - Jornalístico, informativo, sarcástico, debochado, verdadeiro e interativo.

RIO ENTERTAINMENT/ http://jafogandooganso.wordpress.com - Um espaço dedicado ao Rio de Janeiro, com seu lazer, cultura, turismo e entretenimento.
Leia e vamos interagir...
Grato.


Guará Matos
jornalafogandooganso@gmail.com

esdras b disse...

Cristiano, esse livro está na minha lista de preferidos, eu o adoro, demorei para le Paulo Coelho, mas depois desse virei fã. A história é realmente sensacional, pena que o filme ñ fez sucesso, ainda assim quero conferi-lo. Quanto ao livro, traz questionamentos que na atual conjuntura me faço sem parar. Onde encontrar respostas?

Fred Pimenta disse...

Não li esse livro em específico, mas li outros de P.C. e eles me despertam amor e ódio. Ódio porque a escrita é medíocre, a técnica é primária e parece coisa massificada ( e é). Mas me desperta amor, porque algumas histórias são lindas e tristes, como em O Demônio e a Senhorita Prym.

Amanda Aouad disse...

Tinha decidido parar de ler Paulo Coelho após "Na margem do rio Piedra eu sentei e chorei", ô livro chato. Aí, a uol fez uma promoção em determinada época, em que vc podia baixar todos os livros do autor em pdf. Como o título de Veronika me instigou, baixei, li e gostei da história, tirando os excessos do autor em falar de si mesmo e as explicações cientificas do tal hormônio.

Juninho disse...

Só não sei como alguém consegue vender tantos livros escrevendo tão mal. E não tô falando de você, que está muito além do Paulo Coelho.
Pelo amor de Deus. É uma profusão de clichês mesclado com auto ajuda que uma pessoa tem vontade de se matar mesmo, todos os livros dele são assim.
No entanto, é um livro e com ele a leitura. Como diria Martha Medeiros, prefiro ver uns livrinhos do Paulo Coelho na estante de uma pessoa a não ver livro nenhum. "Olha o ponto que eu cheguei''.
Eu odeio o Paulo Coelho, ele não sabe narrar, odeio a fama que ele carrega, odeio a visão que muitas pessoas ficam da literatura brasileira após lê-lo. E odeio a Academia Brasileira de Letras por tentar tornar-se mais pop ao aceitá-lo. Lá na Argentina não se encontrava outros com facilidade.
Acho que quem vai se matar sou eu.

Carol disse...

Agora me bateu curiosidade de ler o livro. Do Paulo Coelho só li "O Alquimista" e "Na Margem do Rio Piedra eu sentei e chorei". Gostei do primeiro mas o segundo é chatíssimo. Vou dar uma "chance" à Veronika... haha...
Abraços!

Marla disse...

Vixe... você gosta é? Sou preconceituosa! Culpa do povo de crítica e teoria literária... Rsrsrsrsrsrsrs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses