Os Insones

O filme A Casa Amaldiçoada foca em um grupo de pessoas - uma solitária mulher, uma bissexual altiva independente e um jovem inconstante galanteador se unem a um médico que decide investigar e determinar um estudo sobre o distúrbio do sono. Todos os selecionados apresentam sintomas de péssima qualidade de sono, além de evidente insônia regular. Ao se deparar com a realidade da mansão no qual terão que permanecer isolados, sem contato com o exterior, todos passam a perceber que há algo mais assombroso por baixo do pano: estranhos acontecimentos ocorrem, fenômenos espirituais e Eleanor, uma das selecionadas, sente-se fortemente atraída pela atmosfera da mansão. Ela passa a desconfiar que a reunião consista em estudar fenômenos paranormais e esta pode ser a verdadeira razão da experiência. Todos são observados secretamente pelo Dr. Marrow, que pretende escrever um livro não sobre problemas com o sono, mas sobre medo e histeria em grupo. Os fenômenos paranormais que começam a atingir as cobaias do Dr. Marrow parecem se fixar em Eleanor, que passa a ouvir vozes de crianças. Insegura e medrosa, ela irá se transformar ao descobrir que a maldição da Casa Hill está relacionada ao seu passado e que o perverso fantasma de Hugh Crain não irá sossegar enquanto não acabar com a sua sanidade.

Enquanto o desenvolvimento do suspense se sustenta, Theo exerce sua personalidade de femme-fatale homossexual: deseja ardentemente Eleanor para si, desde quando o primeiro momento. Tesão à primeira vista? O lesbianismo por parte de Theo é expresso diretamente, ainda que ela evidencie certa atração para o sexo masculino também - mas é sua predisposição em querer Eleanor sexualmente que fomenta seu apego com ela. Eleanor é médium sensitiva, contida e sua feminilidade é contextualizada com bastante fragilidade. Ela sente que há algo tenebroso por trás da arquitetura imponente classicista da mansão Hill House - e Theo apenas a deseja. Sutilmente, acentua-se um forte elo entre ambas, mas Eleanor parece mais ligada à amiga pelo sentimento de ternura, talvez uma admiração, uma companhia, alguém para atenuar a sua carência afetiva e solidão. Theo demonstra um afeto mais idealizador: desejo sexual mesclado a uma vontade mais visionária - tornar-se namorada da amiga? Mas, há pouco aprofundamento neste quesito.

O diretor Jan De Bont concebe seu terror objetivo com efeitos especiais, tornando as cenas dinâmicas e visualmente surreais - com o auxílio do desenhista de produção Eugenio Zanetti, tratam de criar um cenário opressor e conceitualmente de puro requinte, a direção de arte é luxuosa. Obviamente, os efeitos visuais recheados são incapazes de esconder o roteiro banal, mas concretiza um bom clima de tensão. O epílogo do filme não poupa o público com artimanhas para sustentar o thriller: gritos, efeitos sonoros elétricos, descargas de efeitos visuais para provocar sustos e promover tensão - a casa ganha vida, configura-se como própria personagem. Há entretenimento climático, o filme atinge seu propósito, ainda que imerso no condicionamento do clichê.

O entrosamento entre Catherine Zeta-Jones e Lili Taylor como Theo e Eleanor é eficiente, ambas parecem realmente sentirem pânico e o resultado é uma dupla atuação convincente. Inesperadamente, o clima de temor visual torna-se lúdico por conta da bela trilha sonora proposta por Jerry Goldsmith. Há um bom traquejo interpretativo: Liam Neeson é correto e até Owen Wilson não incomoda na participação. Planos discretos, movimentações de câmera e jogo de imagens são bem oportunos. Não é sangrento, é mais visual e há provocações psicológicas por conta das duas personagens femininas. O final consegue a proeza de ser até realista.

22 opinaram | apimente também!:

Paulo [ALT] disse...

Cris,

Sabe o que me deu mais curiosidade no seu texto todo? O motivo do final conseguir ser realista. Ueh.. Pq heinn??? Uai, será que eu fui o único que não assisti a esse filme? Bom, como eu te disse passou na tv aberta de madrugada esses dias, mas não tenho paciência na tv aberta. Além de ficar refém do comercial nunca se sabe se tão cortando cenas ou não, mesmo sendo de madrugada. Eu pelo menos tenho essa impressão. Vc tb??? A parte que eu peguei, a Catherine Zeta-Jones tava apreciando esse "classicismo" nos móveis e paredes da casa.

Não sabia dessa ligação das duas personagens. Quando você me passou o trailer faz bastante tempo [eu ainda lembro disso], eu fui procurar a sinopse. Em nenhuma eu captei as coisas que você escreveu. Inclusive isso ai.

Se não me engano lembro dele no lançamento até. Na época eu era menor e queria ver. Depois esse tema me pareceu em algumas produções uma coisa meio mal feita e devo ter ficado com isso na cabeça. Por isso não dei importância. Mas.. a importância e atenção já tá anotada devidamente. Hey, e não duvide disso. Tá? Hunff...

Mais um dos que se eu assistir volto pra comentar. É engraçado fazer isso.

Abração meu Amigo ^^

Vinícius P. disse...

Daquele tipo de filme que serve como bom passatempo para um sábado a noite, mas que não vai muito além disso.

Vanderson disse...

Deu vontade de v esse filme mas tenho a certeza que ele é do tipo "assitir uma vez e nunca mais"!
abraçoo!

Serginho Tavares disse...

eu vi este filme no cinema
e como eu gosto de tudo que vejo no cinema amei mas depois ao ver em casa.. não sei... acho um filme que poderia ter sido bem melhor com tantas boas ideias colocadas ali

Jardel Nunes disse...

Assisti esse filme logo quando foi lançado... e não me lembro direito dele, muito menos na tensão sexual entre as duas protagonistas (bem, eu tinha 12 anos na época...)
Mas é um filme que não tem muito a oferecer mesmo, saiu numa época em que suspenses estavam na moda e se tornou somente mais um, não dando nenhuma novidade ao gênero.

Abraços

Rodrigo Mendes disse...

Se o filme tivesse na contra capa do DVD um bela descrição como a sua, ou melhor, se o script do filme fosse melhor e com vigor às suas observações.. THE HAUNTING seria um filme melhor. Visto que William Castle já fez essa versão da casa da colina.. do livro da Shirley Jackson (que não recebeu os créditos pq o filme de 1959 foi levemente inspirado)mas era estrelado por Vincent Price. Esse é um "remake", rs! Que acabou sendo um pouco mais fiel.

O bom deste filme são mesmo os efeitos especiais e a direção de arte. DE Bont e Zanetti fazem milagre quando dão vida aos objetos inanimados. Isto que eu adoro neste filme. O luxo e a computação gráfica! Além da edição sonora!

O roteiro do David Self é péssimo só gostei de uma fala: "...meu namorado sim, minha namorada não...mas eles se odeiam.." A Theo para Nell. rs! Mas o perfil dos personagens que deveriam ser exploradso são sofríveis.

Mas como a produção tem mestres trabalhando : Jerry Goldsmith e até Spielberg supervisionou (a DreamWorks é dele, e este roteiro saiu do escritório dele), o filme ficou no tom CLASSE A e a presença de Liam Neeson tbm faz diferença até aquele momento.

Ótimo o Owen Wilson ter perdido a cabeça..deveria ter perdido o nariz antes, rs!

LILI TAYLOR, acho que no papel de maior destaque pra ela e CATHERINE ZETA- JONES, ainda em ascenção.

Apesar das falhas, tenho predilação por este filme. Vi no cinema em 1999 com minha vó, uma semana antes de ver STAR WARS EPISÓDIO I - A Ameaça fantasma..rs e lembro que nos divertimos.

"Encontre-nos Eleanor...Eleanor! Encontre-nos"!

ABS!

Alan Raspante disse...

Já ouvi falar muito desse filme, uns falam que é bom outro falam que é péssimo e eu acabo nem vendo o filme, pois peguei um certo trauma de filmes de terror, afinal faz muito tempo que não fazem um filme bom no gênero.
Mais vou procurar ver esse filme, mais um pra minha lista!

Ruy disse...

Confesso que preciso rever esse filme, lembro-me que assiti na época em que foi lançado e me ative a poucos detalhes, tanto que não me recordo de várias coisas que voc~e citou.

Fato é que seu post me estimulou a ver de novo, das últimas vezes que ele passou sei lá, no supercine, eu prefiri ir dormir.

Abraço

alvaro, oliveira. disse...

Eu acho que já vi esse filme... não lembro...

Então, finalmente voltei a escrever no meu blog.

Se puder dá uma olhada lá. E , valeu pelo ultimo comentario.

Mayara Bastos disse...

Acho um bom "Maracugina", ou seja, um bom sonífero. rsrsrs.

Beijos! ;)

Kamila disse...

Eu não gosto desse filme, mas gostei do teu texto sobre ele. Legal!

Cristiano Contreiras disse...

PAULO [ALT]: Veja o filme, saberá o porquê do 'realismo' no final, rs
É um filme que não é excepcional e nem obra-prima, mas eu ADORO! rs
E quis mostrar as qualidades, entende? rs

VINÍCIUS P.: Ah, vale mais que isso! rs

VANDERSON: Sério? rs

SERGINHO TAVARES: Reveja e depois me fale o que achou!

JARDEL NUNES: É um filme que vale pelo elenco e direção de arte!

RODRIGO MENDES: Eu já sei disso tudo, Ro...mas, você sabe que essa mania de inserir curiosidades e tal - eu deixo pra você! minhas análises e abordagens dos filmes são outros quinhentos...e eu gosto dele! rs
E, pelo visto, você já viu mais de 2 vezes, lembra até de falas! rs

ALAN RASPANTE: Veja ela, vai por mim, depois me fala!

RUY: É pra estimular mesmo que postei, espero que as pessoas observem as boas qualidades dele. O visual é lindo!

ALVARO, OLIVEIRA: Ok! Passo lá! Volte sempre!

MAYRA BASTOS: Ah, que exagero! rsrs

KAMILA: Obrigado! rs

Leandro K. disse...

nossa, eu lembro vagamente do filme... mas não curti. tirando os anjinhos... eles me agradaram. rs

Renato Orlandi disse...

Aaaaa... Porque a maioria dos filmes de lésbica é de terror tb??? eu até assistiria mas sou mto medroso rsrs... bjoooo!

Romeika disse...

Tem cara de bomba hehe

Wallace Andrioli Guedes disse...

Vi esse filme há um bom tempo, mas me lembro de ter ficado com uma impressão muito negativa dele. Grande elenco em uma bobagem exagerada e meio sem sentido.

Vladir Duarte disse...

Gosto demais de filmes assim... Vou anotar este na minha listinha de sugestões!

valeu!

bruno knott disse...

história interessante... ainda mais pela presença da catherine zeta-jones...

a conferir!

Luis Galvão disse...

Parece interessante. Irei colocá-lo na fila.

Cristiano Contreiras disse...

LEANDRO K.: Eu gosto do filme e dos anjinhos, rs

RENATO ORLANDI: Vai entender, né? rs

ROMEIKA: Não é não! rs

WALLACE ANDRIOLI GUEDES: Ah, que pena! É um bom entretenimento.

VALDIR DUARTE: Veja, me fale depois, tá?

BRUNO KNOTT: Confira, caro!

LUIS GALVÃO: Veja, dá pra divertir com bons sustos! rs

Mariana & Roberta disse...

lembramo-nos bem deste filme...

railer disse...

esse é ruim de doer...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses