Love Blood Soundtrack

A concepção da trilha sonora incidental, do filme Crepúsculo, proposta pelo instrumentista Carter Burwell surpreende na ousadia. O cd do primeiro filme da saga, The Twilight - The score, tem 21 canções instrumentais com base em pianos discretos, melódicos e charmosos. Tendo uma boa percepção quanto à atmosfera do universo do filme, a trilha sonora é repleta de intensidade harmônica: um conjunto sonoro de violinos, pianos e acordes sensuais que dão clima notório de suspense dramático, romance e um tom misterioso. Acreditem na concreta maturidade, ouçam. Todo o score é repleto de sentimentalidade, aos preconceituosos: abstenham-se do estigma do filme, a concepção das canções são magistrais, alto teor de sensualidade. Este álbum difere do outro lançado juntamente, Twilight: Original Motion Picture Soundtrack tem canções diversas de artistas do pop-rock. Já a concepção do cd The Score toma como base apenas a trilha composta por Carter Burwell - que, curiosamente, orquestrou e compôs o material sonoro em apenas um curto período de 9 semanas, tendo sido gravado/mixado em cerca de duas horas. A primeira canção do score foi um love theme para o relacionamento dos personagens do filme, Bella e Edward, esta variação resultaria na mais bela canção do filme: Bella's Lullaby. Na película, a música aparece como se Edward tivesse composto para Bella, quando eles se sentam ao piano juntos, pela primeira vez. Serve como bálsamo tanto para os ouvidos iniciados da série, tanto para os que apenas apreciam um bom score. Como um compositor de trilhas sonoras para filmes, Burwell teve uma longa relação de trabalho com os irmãos Coen, fornecendo música para todos os filmes que fizeram. A beleza da forma da composição reflete em quem escuta, atento: não tão tradicional, nem vibrante, o score tem uma sutileza delicada, um aperfeiçoamento singelo de carinho. São canções embaladas com força de paixão? Se a intenção do livro contribuiu para o filme adaptado? Decerto, o score prevaleceu o sentido original: aliar o tom de romance com o mistério vampiresco. E é justamente este alicerce que faz sentido na sonoridade da trilha incidental. Observem as variações sutis de sussurros femininos em algumas canções, lirismo sonoro. O compositor Burwell soube conceituar paixão, tensão e personalidade envolvente. Um misto de elegância, conceito e sensualidade musical.

38 opinaram | apimente também!:

Paulo [ALT] disse...

Então... Cris quietinho lá significa post supresa?!?! Nem ia adivinhar também. Eu NUNCA imaginei que ia ver um post assim aqui. NUNCA mesmo. Tô admirado até agora em abrir o blog e ver. Ver os elogios a trilha. Ou até mesmo ver que quanto ao "ouvir imparcialmente" ao filme vc fez! Direitinho! E adorei a parte "aos preconceituosos" haha. Foi ótimo incluir isso. Acho que foi o maior espanto que tive até agora, sério mesmo.

Tenho a trilha... tanto a do filme, o primeiro, como as músicas ouvidas pela Steph enquanto escrevia cada um dos livros gravadas em algum cd. Por sorte passei a ouvir Bella's Lullaby [adorei que você comentou separadamente dela kkkkk] que estava aqui em algum canto do pc recentemente e concordo em cada pedacinho que você descreveu. Esse tom melódico pincelado pelo piano, gentilmente, dá um ar inocente mas misteriosamente romântico. Destaque pro violino claro também! Aliás, sou fã de trilhas em que percebo violino, fica de tão bom gosto. E esse sussurro eu consegui ouvir apenas hoje, era algo que ainda não tinha me dado conta.

Outra coisa, essa imagem que você colocou ficou muito show! Combinou com tudo, até com o reflexo que tem no ícone do "feed" lá em cima, perto do "culturalmente venoso". Foi invenção própria??? Fiquei curioso agora. Esse meio brush ou sei lá como se diz de vermelho-sangue por cima.

Se quiser postar mais trilhas... kkkkkk... faça!
Abraço meu Amigo ^^

Rodrigo Mendes disse...

A trilha é uma obra tão separada do filme (que é maroto) que quando escutei no carro da minha tia, me encantei com as melodias.

Não sou nehuma 'teenager com frissons' para com a Saga Crepúsculo... hehehe..mas acho legal!

Adoro as composições de Burwell nos filmes dos Cohen (FARGO).

Minha tia já é fissurada por Twilight, rs!

Tava querendo ver um texto sobre Musicalidade aqui..que bom!

Abs!

Eduardo Porto disse...

Por bastante coincidência, postei sobre Lua Nova no Cinema para Desocupados e tenho que admitir que Burnwell consegue salvar boa parte do primeiro filme com belíssimas composições.

temos que parar com as frescuragens e analisar os filmes como filmes e levando em consideração a imparcialidade e o bom cinema. Continue com belas postagens.

bruno knott disse...

Wow... isso me impressiona. Assisti ao filme Crepúsculo e realmente não gostei. Não li os livros e não vi Lua Nova.

Mas tô pegando esse álbum! Me empolguei.

Hosana Lemos disse...

nossa você realemnte gostou da trilha sonora...
eu não reparei muito não, talvez por que eu não tenha gostado tanto do filme!
;)



beijos

Vinny disse...

Olá. Há tempos que não passava por aqui ein. [férias, sabe como é].

Mas sobre o post, eu realmente não gostei de Twilight em praticamente nenhum aspecto, e acho que talvez tenha me revoltado tanto com a história e com o filme em si que acabei nem prestando atenção à trilha sonora. Mas me senti na obrigação de procura-la e conferir com elogios assim.

Um grande abraço.

Márcio Brasil disse...

Olá, Cristiano. Putz, gostei muito de seu comentário. Tanto, que fui conferir a trilha sonora e, de fato, ela é muito atraente. Não gostei do filme. Não gostei mesmo. Mas isso porque não entrei no clima, nem na proposta que ele faz. Para mim, vampiro é no estilo Entrevista com Vampiro ou Drácula de Bram Stoker. E não gosto mesmo da forma como as coisas foram mostradas em Crepúsculo, que achei ruim mesmo, inclusive com atuações fraquíssimas de seus atores, fora os diálogos e situações bem meia bocas. De qualquer forma, a trilha sonora se salva. Gostei de tua crítica. Forte abraço!!

Renan disse...

Diferentemente do filme, a trilha sonora, tanto o Score quanto a Trilha Sonora Orginal são realmente boas. Carter Burwell acertou a mão com músicas orquestradas que parecem falar muito mais do que outras músicas cantadas. Bella`s Lullubay é bme bonita.

Reinaldo Glioche disse...

Nossa que post legal Cris.Confesso que a melhor coisa do primeiro Crepúsculo é realmente a trilha sonora.Mas me haviam escapado alguns detalhes que vc pontuou aqui.
E citando o Paulo lá do primeiro comentário, poste mais sobre trilhas. Achei um exercicío de estilo interessante.
ABS

Drigo disse...

adoro os livros da saga, os filmes estão me conquistando tb.
a trilha sonora de Crepúsculo, eh maravilhosa, tenho um cd com 13 músicas, ouço sempre.

adorei o post.

abçs...

Amanda Aouad disse...

Pronto, você conseguiu encontrar algo de bom em Crepúsculo. Ainda não vi Lua Nova, mas o primeiro filme foi muito sem sal (ou pimenta). Vou procurar a trilha para olhar com mais carinho.

bjs

P.S. E não desista de Abraços Partidos, hehe, apesar de tudo é um bom filme.

Magda Miranda disse...

Oi Cristiano! Feliz Ano Novo atrasado! Realmente a trilha sonora é um escândalo de tão perfeita. Também me surpreendi ao ler aqui algo sobre o filme, neste caso, um texto sobre a trilha sonora. Mas realmete é tudo isso que você escreveu. Pouca gente sabe exprimir com palavras a sensação e a técnica de uma música e você fez isso muito bem. Parabéns!

Michael Doublott disse...

É uma febre a saga Twilight, gostei muito do post, mas vc ainda me deve um.. da Peça Eqqus (com Daniel Radcliff).. Gostei da sua opnião sobre a trilha sonora de Crepúsculo, mas vc vai adorar falar sobre a de Lua Nova, que simplesmente está ótima. bjo Chriss!

Cleiton Heredia disse...

Cristiano,

Agradeço a generosa avaliação do meu blog e pela oportunidade de conhecer o seu "apimentário". Gostei e também me incluí no seu grupo dos "apimentadores".

Um abraço.

Liana disse...

Deu vontade de ouvir com atenção! Violinos são capazes despertar emoções, com certeza. :)

Daniel Braga disse...

Aiin.. eu adoro a trilha sonora da saga.. acho muito perfeita, todas as musicas. E a trilha do segundo filme pra mim manteve o nível da primeira. Espero que eles mantenham nos próximos também.

~Até a próxima, amigo.

*DB*

Nekas disse...

Eu adorei a banda sonora dos filmes!
Seja a Burwell ou a magnificamente gerada por The Muse...

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Renan Canuto disse...

Cristiano, embora você tenha citado, acho que não vou conseguir me abster do estigma do filme, que é uma porcaria, pra ouvir o repertório mencionado! hahaha

Um detalhe: no texto, não seria irmãos Cohen, em vez de Coen?

Abraço!

Gabrielle Avelar disse...

Olá! É uma honra para mim!!! Obrigada pela visita, mais ainda pelos elogios... E, quando quiser, também dá uma sapeada lá no http://30emuns.blogspot.com... Será uma honra também!!!
Abraços, já estou lhe seguindo, para pegar suas dicas valiosas!

Tânia Marques disse...

Já estou te seguindo. Querendo postar alguma matéria no Degrau, é só mandar o conteúdo para o meu e-mail, juntamente com um breve currículo. Postarei junto à tua matéria o link do teu blog. Espero que visites o meu outro, Palavras e Imagens.
www.marquesiano.blogspot.com
Beijos

Paulo [ALT] disse...

Comentário duplo, rs.
Ouvi a trilha de tarde. Fora as que já tinha ouvido, Phascination Phase me chamou muito a atenção também. I Know What You Are e The Most Dangerous Pradator como faixas suaves e românticas são muito boas. Mas... inesperadamente Stuck Here Like Mom me lembrou de Moonlight Sonata do Beethoven, estranho, rs.
Abraço! ^^

RAMON(ES) disse...

Finalmente parei pra dar uma olhada no seu blog. Estava meio sem tempo pra isso. Bom, eu não curto esse filme, mas a trilha sonora sem ser essa original é bem bacana. Tem bandas bem legais.

Raphael Ribeiro disse...

Confesso que não conheço a história da série, e também não pretendo, justamente por se tratar de vampiros, que eu não me interesso de forma alguma.

Mas a trilha sonora (The Score) eu pretendo conferir. Gosto muito do som do piano. Valeu pela dica!

Marcos Campos disse...

Oi Cris!
Assisti o primeiro filme, mesmo sendo bem teen (e olha que gosto de vampiros, li TODOS da Anne Rice) fiquei curioso pra saber onde isso vai dar...agora vou ter que assistir mesmo, por conta da musica...
Abraço!

Júnia L. disse...

Oi Cris, ando sumida mesmo mas estou voltando. Quanto ao filme Tom Thumb você acha para comprar e baixar em DVDr em no site do Manicômio, Mania Torrent ou BJ

Muito interessante a leitura que você fez da trilha sonora de Lua Nova, legal poder ler algo que você pensa mas que não consegue colocar...
Adoro a forma como você escreve, isso é dom para poucos meu querido!!!!!

Cleber Eldridge disse...

CREDO!

Patty Martins disse...

Adoro o soundtrack de Twilight e New Moon, são ótimas. Também curto muito a música instrumental e, por isso, encomendei há um mês no Amazon os "The Score' dos dois filmes, que infelizmente ainda não chegaram...
A sua resenha sobre o primeiro me deixam com mais vontade ainda de ouvir.
bjos

Ibertson Medeiros disse...

Aê Cristiano. Valeu pela visita ao meu blog e pelos elogios. Seu blog também é bem interessante e vou passar a visitá-lo frequentemente.
Abraço!

ADORO BLOGAR disse...

Interessante seu comentário sobre Crepúsculo.

Cenira de Mello disse...

Nossa!!! Que delícia teus escritos.
Não assisti o filme, mas entrei de cabeça e com o coração. Te doas, te entregas em cada palavra: Vibra, emociona, instiga, aponta com picos de leveza e força..
Quanta sensibilidade. escreve como se fosse uma poesia deliciosa, delicada, "apimentada".
Uma delícia tudo!
Amei!
Voltarei!
Abraço
Cenira

Madame Lumière disse...

Oi Cristiano

Saudades de você, moço!

Eu adoro esta trilha sonora, mas do que a de New Moon. Na verdade, acho cult, cool, romanticamente vampiresca e há uma sedução contemporânea nestes acordes musicais. Enfim, desejo ser a própria Bella e ter um Edward passional e muito sensual ao meulado.

Beijo da Madame!

Alysson-Syn disse...

Apesar de ter um tico de vergonha, eu gosto dessa série boba de amor idealizado e ação clichê (vampiros vs lobisomens).

Adorei de verdade o soundtrack comum do filme, porque reúne bandas que eu gosto, como Paramore e (principalmente) Muse. Mas
o The Score foi totalmente o que completou o gostinho de quero mais que a Bella's Lullaby deixou no soundrtrack. ADOREI!

Abração Cris!

Jay e Alê disse...

Oi Cristiano,

Tudo blz? Estou passando pra te sugerir a visitar o blog do Andre, ele tb escreve sobre filme e cinema. Passa lá e confere.
http://tegnerandre.blogspot.com/
Abraço

Catarina Norte disse...

Olá!

Gostei muito da banda sonora! Acho "Bella's Lullaby" lindíssima!

Cumprimentos

Mirella Santos disse...

Apesar da trilha ser boa, ela não consegue salvar o filme. Fato!

Eri Jr. disse...

Me envergonho de dizer isso, mas eu gosto de Crepúsculo! Na verdade não tem nada a ver com o filme, mas com o personagem... Sempre quiz ser um Edward!! rsrsrsrrsrs

Ainda tenho vontade de ler os livros, apesar de todos dizerem o quão femininos eles são. Mas eu topo qualquer tipo de leitura - tirando Auto-Ajuda (pé-no-saco)!!!

Não tenho certeza da veracidade da coisa, mas numa revista minha de cinema, tinha um especial do Crepúsculo e lá dizia que duas músicas do filme foram compostas pelo Robert Patinson (não sei como escreve)!! Inclusive aquela que ele toca para a bela no piano!! Não sei se é a mesma Bella's Lullaby!! Vale a pena tu se informar, pq apesar de Burwell ser bom, esta não é dele!!! rsrsrsrsrrs

Um abraço!!

Mirella Santos disse...

Você me mostrou várias coisas sobre o filme e é difícil mesmo voltar atrás, mas assumo que gostei do filme e que sua trilha sonora é muita bonita mesmo combina e se encaixa perfeitamente em cada cena.

Alan Raspante disse...

A Saga Crepúsculo pode não ser a mais bem feita, ou com atuações memoráveis, mais quanto a trilha sonora temos que tirar o chapéu, foram muito bem feitas e introduzidas no filme, principalmente a parte instrumental !

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses