Soturno Amor

Quão doloroso pode ser a dor da despedida? Coração sofrido é coração partido, despedaçado sem esperança. Lua Nova desconstrói o mundo sentimental de Bella Swan (Kristen Stewart). O título, referência à fase obscura lunar, demonstra a melancolia sofrida de Bella ao se confrontar com o abandono - é a fase mais sombria de sua vida, a perda de seu verdadeiro amor. Enquanto Crepúsculo concebia a inocência do sentimento entre Bella e Edward (Robert Pattinson), esta seqüência viabiliza o amor obscuro, firmado na dor. A relação de ambos é firmada na tensão: enquanto ela almeja ser transformada em vampira, ele crê na condenação de sua condição humana e, acima de tudo, na perda da sua moralidade caso ele a morda. A relação dos dois é de muita incompatibilidade, constantemente ele teme fraquejar, teme pela vida dela. A relação não se condiciona no sexo, ainda que ambos tenham o tesão crescente até com um simples beijo. Como conter o desejo desenfreado? Edward teme que possa se descontrolar, já que sua fúria está aliada ao prazer do sexo: ou seja, ele impõe limites terminantemente ao relacionamento. Se transar, poderá perder o senso e sua falta de sensibilidade pode macular a mortalidade de Bella. Então, o amor é firmado numa amizade, na relação carinhosa, ainda que o desejo seja febril. Edward serve de protetor, mas Bella com sua passionalidade jamais é saciada: quer beijar mais, quer compactuar uma relação mais íntima e, conseqüentemente, necessita torna-se da mesma família vampiresca do amado.

A catarse ocorre: no seu aniversário, Bella sofre um atentado de Jasper (Jackson Rathbone) - o novo vegetariano da família de Edward - e o transtorno é evidente: o perigoso limite entre a condição da relação da humana com o vampíro é abalado. Ele decide abandoná-la, ausentando-se de toda responsabilidade. Eis que a depressão se intensifica: Bella vivencia a solidão extrema, não consegue ter mais satisfação de vida, passa a ter sonhos macabros, insone e apática, afasta-se de todos os amigos - nem mesmo seu pai, Charlie, consegue retroceder a introspecção. O foco do filme, extremamente fiel ao livro de origem de Stephenie Meyer, é justamente em relatar esse afastamento de Bella e Edward e quão dolorosa pode ser a separação. Como perder o verdadeiro amor? A marca da transição para a maturidade de Bella ocorre quando ela passa a ter aproximação com Jacob Black (Taylor Lautner) - obrigada a lidar com a própria fragilidade, a dor da perda da alma e a saudade inabalável de um amor perdido, eis que o novo amigo pode ser uma espécie de amparo. Mas ela resiste às tentações solícitas de um Jacob mais másculo, repleto de virilidade e charme juvenil: ela só pensa em manter o vampiro dentro de si, jamais perder o som de sua voz no seu interior. Bella passa a viver desafiando o destino, age impulsiva, quer adrenalina e busca aventuras perigosas com o intuito de trazer Edward para perto de si (uma forma de ouvir sua voz, sua imagem em sua mente). Enquanto isso, Jacob passa a assediá-la, sutilmente e cria-se um forte vínculo entre os dois.

Será possível tornar o sentimento de amizade em algo mais amoroso? Ela tende a ter admiração por ele, há um tesão reprimido evidenciado também. Mas, a problemática surpreende: Bella sequer imagina que Jacob é um lobisomem, nem tudo são flores. Como fazer válido um relacionamento entre uma mortal com um imortal? E agora: como prevalecer a relação de uma humana com um lobo? Bella tem tendências sérias à baixa-estima, fragilidade e impulsividade característica de seu romantismo idealizado, extrema passional. Com Edward, ela encontrava seu eixo, apesar dele ser sensivelmente depressivo e pessimista na sua condição existencial - e na relação de sua imortalidade com uma humana. Já Jacob viabiliza maior sintonia com o universo dela: tem uma personalidade mais objetiva, é decidido e próximo da realidade carnal dela, ainda que a imprevisibilidade de sua transcendência em lobo dificulte certa harmonia.

Lua Nova tem como foco as motivações de amadurecimento, descobertas do amor, arrependimento, solidão e depressão. Bella com sua carne humana é o foco de desejo entre esses dois seres – o vampiro e o lobisomem. Edward, o amante predestinado idealizado? Jacob, o tesão da masculinidade? O amor, o desejo e o ciúme são condições do enredo. A direção de Chris Weitz é meticulosa: concebe cenas elegantes, direção mais cuidadosa. O roteiro é incondicionalmente fiel ao livro, Melissa Rosenberg consegue condensar toda a essência do imaginário de Stephenie Meyer: os diálogos, situações e cada detalhe exercem semelhanças com o livro. As cenas de melodrama, suspense e subjetividade - como na cena da passagem do tempo em que Bella, em total estado de apatia melancólica, observa os meses fluindo - são acentuadas por uma inspirada trilha sonora proposta por Alexandre Desplat. O score instrumental é um misto de amor lúdico e mistério obscuro, dão todo o clima narrativo à película.

O entrosamento entre Robert Pattinson, Kristen Stewart e Taylor Launter é mais aprofundado, importância fundamental para o desenvolvimento da história - os três estão mais obstinados na interpretação. A direção de arte, a fotografia soturna, a montagem ágil - principalmente no epílogo na Itália, cenas da realeza dos vampiros Volturis (notáveis participações de Michael Sheen e Dakota Fanning como os malignos vampiros Aro e Jane), são até mais eficientes que no livro: o desfecho, a tensão e os diálogos favorecem. A junção do amadurecimento técnico favorece o emocional. O filme todo tem um aspecto mais dark, introspectivo e mais clássico que o primeiro da saga.

New Moon (EUA, 2009)
Direção de Chris Weitz
Roteiro de Melissa Rosenberg, baseado em livro de Stephenie Meyer
Com Kristen Stewart, Robert Pattinson, Taylor Lautner, Dakota Fanning,
Michael Sheen, Nikki Reed, Anna Hendrick, Ashley Greene

44 opinaram | apimente também!:

Kamila disse...

A questão principal desse livro é nos apresentar ao Jacob, o antagonista da história, o cara que vai brigar com o Edward pelo amor da Bella até o fim. O que eu gosto no Jacob é que a gente não desgosta dele. A gente gosta dele e entende que a função dele é mostrar que existe uma vida real para Bella, plena, em que ela não tem que abdicar de sua mortalidade.

Alice Matos disse...

PARABÉNS PELA RESENHA MEU CARO

É UM TAPA NA CARA DE MUITOS PSEUDOS ENTENDEDORES DO CINEMA E DOS QUE MOSTRAM TOTAL FALTA DE CONHECIMENTO EM OBSERVAR UM SIMPLES E DENSA TRAMA DE AMOR SOTURNA!!!

essa sua resenha expressa, talvez, a melhor que ja li sobre o filme e vc mostra que entende mesmo dos personagens...parabens...vc escreve ate o psicologico dos personagens de Meyer

Lua nova, curiosamente, cativou àqueles que viraram a cara pro primeiro filme..pq será? acho que a beleza tecnica do filme, o elenco mais maduro e a densidade do roteiro proporcionaram isso...muitos amigos meus torceram o nariz pra Crepusculo..viram Lua nova e voltaram atrás, rsrs...tem acontecido com muitos...

o filme é belo demais...e eu nao sou fã de stephenie meyer, mas RECONHEÇO isso!! o filme tem a trilha sonora como vc disse..mt boa...sem falar na fotografia..os lobos sao muito reais!

deu ate vontade de rever!

Antônio disse...

Confesso que também me surpreendi com o filme, evitava os livros...e achei o primeiro filme fraco...

Vi este Lua Nova e gostei, não tenho nenhuma aversão ao aspecto do filme, pelo contrário eu achei muito mais cuidadoso.

Você teve atitude neste post, todo mundo fala mal do filme e eu gostei de ler uma crítica mais aprofundada...como você disse, o foco no filme é amor e também o sentimento.

Parabéns pelo blog!

Juliana disse...

O filme é ótimo sim! praticamente é como lermos o livro! e Kristen Stewart faz Bella totalmente depresssiva e é triste ver isso...o filme recebeu tratamento de luxo e eu gostei! problema de quem nao goste, mas é um bom filme sim...mt bem dirigido!!! otimo texto!!!

@philipsouza disse...

Bom, eu ja li os livros da saga, alias quase, estou no penultimo capitulo de Amanhecer, 4º e último e nao consegui terminar, porque? Por causa dessa modinha que aconteceu nos livros da Meyer, primeiro por ja comentarem os famosos sde ao bote logo quando lançou amanhecer no ano passado aqui no Brasil. Segundo porque o ultimo livro digo enrolar no sentido de explicitar em extenso a historia de Bella Swan, mas pretendo essa semana finalizar com a saga dando o fim em amanhecer.Quando aos filmes, concordo com seu post, Crepusculo foi sim o inicio, a fase de conhecimento quando o amor entra em jogo, a parte tudo bem clara quando os dois verem juntos querendo lutar e passar por todos, já lua nova também muito fiel ao livro, mostrou sim a parte obscura de Bella, mostrou o Edward pensando nas consequencias e protetor ao mesmo tempo como o livro. Muito fiel mesmo e filme digno ao meu entendimento de poder ter ido ao OSCAR.Não sabendo o motivo de nao ter concorrido.
A Kristen e o Pattinson trabalharam muito bem dando enfase a adaptação, nao sei o pq do questionamento dos famosos fas uma vez q citamos ADAPTAÇAO nos filmes e nao tem como aprofundar em 2h e meia...gosetei de er visto e por ja ter lido e relido os 3 livros e como dito finalizando o 4, Meyer deu um foque diferente a sua historia, apesar de muitos confundirem ser de vampiros, lobos e uma humana, na qual o centro é o romance digamos quase proibido que ocasiona uma periculosidade enorme pelos personagens e demais da trama, ate o finalmente quando o desejo é consumado....
abraço

Cadu disse...

Isso ae, gostei...o filme é otimo e eu nao sou fa dos livros..mas gostei do filme...e eu achei que tem bom roteiro, enredo, o elenco ta bom..Pattinson ta muito bem! Eu achei os efeitos bons...

Pena disse...

Fabuloso e Admirável Amigo:
Um texto intenso e profundo sobre a cinematografia que sente com perfeição.
Também eu já fui um cinéfilo.
Olhe, é fantástico numa atitude cativante.
Abraço amigo de respeito imenso.
Sempre a admirá-lo

pena

MUITO OBRIGADO pela visita que me efectuou.
Bem-Haja, notável Amigo Gigante de bem.

Antônio Moura disse...

Já ouvi falar bem deste filme. Ainda não assisti sequer ao primeiro, mas logo o farei. Abração.

Vladir Duarte disse...

Definitivamente não gostei desse filme. Não é preconceito, não é pelo modismo dele, não é por nada. É apenas uma questão de gosto mesmo...

Mas achei legal a imagem 3d do post. Muito maneira!

Valeu!

Paulo [ALT] disse...

Huff.. e haja fôlego pra ler uma coisa que você se importa de verdade. Ô Cris, valeu pelo post, amigo. Li aqui de uma vez só, sem parar. E eu me lembro desse gif haha, que bom que funcionou mesmo então!

Eu acho mesmo que preciso assistir de novo pq eu confio nas coisas que você diz, você mesmo sabe que já te disse, nunca errou nada, sempre são do meu gosto também e não tenho pq não falar que não gostei de algo...

Bom, falou pra eu ler com o meu olhar de fã... e tô aqui. Com o meu olhar de fã você fez uma ode ao filme. E é tão compensador ler isso de você sabia? Eu gosto sim muito do livro, acho que ele concebe umas imagens excelentes [como a do começo, da vó da Bella] e traça alguns paralelos como se fosse um romeu e julieta vampiresco. Aliás, isso acho uma bela sacada, veja que no primeiro era o Wuthering Heights. Só achei que pecou por tornar excessivo essa vivência bella-bike-jacok. Detesto eu Jacob? Naa... acabei tendo dó dele e o vendo com outros olhos de Eclipse em diante. Mas achei o filme mais distante do livro, pq será?
Acho que boa parte dessa "frivolidade" tenha a ver com o fato da histeria juvenil dentro do cinema ter me dado asco. Te juro. Acho que foi isso mesmo. Eu acabei não aproveitando os momentos, não me entregando ao longa como deveria ter feito. Sabe o que é você não poder sentir aquele momento em que a Bella se joga nos braços dele e ele pensa que tinha morrido e era o céu? Eu comparei aquilo do filme ao "cold" encontro de Cold Mountain, olha só que horror! E no livro eu já tava todo concentrado na ação, achei uma das melhores criações da Steph.

Mas me diz.. eu gosto sim e coleciono sim, e É lógico que vou comprar o dvd [que pelo visto saiu com a capa muito bonita]. Os efeitos especiais alguns achei bons, como o Jacob subindo na janela da Bella, fluiu com naturalidade. A transformação pra lobo mesmo que um pouco "mecânica" no meu modo de ver foi bem feita, não há como negar, os olhos são MTO expressivos e dá a entender quais são os personagens e o que querem passar, assim bem como no livro.

Assisto de novo e talvez retorne pra postar outro comentário se não o meu vai virar um post aqui.

Abraçooo meu Amigo ^^

J,J disse...

Mais clássica que a primeira parte, o que te faz pensar dessa forma?

Thiago Luz disse...

Um amigo me disse que odeia essa coisa de "vampiro bonzinho", meio emo, da história de Stephen Meyer... rs. Eu acho que todo mundo, mesmo um ser com um vampiro, apresenta essa dualidade de bem x mal, e é possível escolher um dos dois caminhos... Muito bom seu texto. Um abraço.

João Bastos disse...

Pois eu simplesmente odeio os filmes... Confesso que não li os livros. Gosto de vampiros e acho que isto é lixo... Mas esta é só a minha opinião.... ABORRECIMENTO é a palavra que me surge para descrever estes pseudo-filmes... E a cena do lobisomem tirar a camisola para slavar Bella atinge um nível de ridículo acentuado... Enfim...

Ana disse...

Curioso MESMO o preconceito q se tem sobre essa historia que é sensivel e fala do amor...engraçado que falam mal do filme mas TODO MUNDO vai ver! kkkkk!

muito bom ver aqui uma opinião inteligente sobre! adorei! vc escreve muito bem!

o que é aquela cena inicial do filme? e há muita emoção dos atores e o roteiro é fiel!!! quem conhece os livros sabe do que falo.

beijos

Paulo Braccini disse...

Caro amigo Cristiano ...
Um texto intenso de quem sabe se aperceber de um trabalho interessante e inteligente.
Também gostei e muito, houve um crescimento facilmente mensurável entre o primeiro e este.
É cativante.
Parabéns pela magnífica leitura aqui traduzida por suas letras ...

bjux

;-)

Drigo disse...

post maravihoso, li os qtro e adorei.
sua visão do filme eh incrível e concordo plenamente.

abçs...

Carlos disse...

Sou fã de literatura classica, vampiros de anne rice e gosto de filmes de fantasia...e daí? Lua Nova me cativou mesmo assim e é um ótimo filme! qual mal em assumir isso?

abraço!

Raphael Ribeiro disse...

Eu realmente preciso ver esses filmes. Sou o único no mundo que ainda não viu, certeza!
Mas tem aquele meu preconceito contra vampiros, mas vou dar uma chance sim!

Abraço.

Nekas disse...

Há defeitos e vantagens neste filme.
Uma delas é, claramente, a fidelidade face ao livro. Embora nunca tenha lido a obra homónima de Meyer, vi o filme com amigas que o tinham lido e, portanto, posso comprovar a sua fidelidade. Contudo, o filme perde-se em algumas manobras de marketing.
Embora não ache que o trio amoroso funcione individualmente (Kristen Stewart só é boa nos gritos de desespero) em conjunto as interpretações valem um pouco mais embora nunca superem a mediocridade.

Não acho que o ambiente seja mais dark mas claramente mais clássico e superior.
A banda sonora é o grande destaque desta obra a par da fidelidade perante a adaptação.

Abraço
http://nekascw.blogspot.com/

Luzia disse...

Que bandos de insensiveis!!

o filme é muito bom, um belo cinema adaptado de um livro marcante!
Kristen faz uma Bella bem deprê e isso é perfeito...Jacob é uma delicia e marcante e Pattinson faz toda a complexidade de Edward!!

e os Volturis são lindos e macabros!!!
o filme tem todo um clima denso!
quem viu, sabe!

criticam sem fundamento? absurdo, adorei o texto! vc entende do que fala, garoto!

Mirella Santos disse...

Depende realmente dos olhos de quem vê, juro que quando vi não notei quase nada disso que vc falou, além do sofrimento de Bella... Mas já que vc quer que eu mude de opinião vou rever o filme!!!

joyce domingos disse...

oiiii...

eu,como fã da saga,me emocionei ao ler o post...mutíssimo bem escrito!!
o primeiro filme não me conquistou muito..a não ser pela beleza de ver o edward e bella como sempre idealizei ao ler....

mas o filme em si é bem fraco...

agora,new moon me surpeendeu demais: é o livro mais denso da série,mais sofrido de se ler,afinal edward decide se afastar de bella para protegê-la....

e ao ver aquelas imagens na telona eu me senti igual a como quando eu li : tensa,triste....a kristen atuou muuuuito bem em new moom....traduziu toda aquela tristeza que bella sentia.....

a trilha é mais densa tbm,acompanhando o clima do filme....

sendo sincera,só o robert pattinson que ainda não me convencu como ator....apesar de ser liiindo....maaaas....whatever...

é legal ver tbm o crescimento do jacob...

aaaahhh...adoro twilight!!!


bjbjbj

Hugo disse...

Escreveram e falaram tanto sobre estes longas, que ainda não tive vontade de assistir.
Tenhoa a impressão de ser apenas uma mais um romance teen.

Quem sabe em breve não assistirei.

Abraço

Maycon Aguiar disse...

Nossa, você conseguiu transformar um filme de cacife baixíssimo feito Lua Nova num clássico, rs. Assiti, mas não me agradou. É superficial demais, atores inexperientes... enfim, apenas a modinha salvou a bilheteria, na minha opinião.

Um abraço!

Caio V. disse...

Seu texto tá muito bem ESCRITO!!!!!!
O filme é bem dirigido, os atores fazem tudo que os personagens do livro fizeram...sem falar na trama que dá prazer em ver mesmo...como falado aqui o amor eh o mote do filme...é um filme que deveria ser visto MAIS SEM PRECONCEITO pq é realmente bem feito...
acho bizarro criticarem pattison: ele faz o edward como tá descrito por stephenie meyer...todo o elenco tá como imaginamos no livro!!! feito raro...
Adaptações como HOMEM ARANHA, DEMOLIDOR e até o medonho PERCY JACKSON fogem totalmente do contexto da obra...os atores nao se assemelham nem no físico, muito menos na interpretação!!!
Lua Nova todo o elenco é como MEYER escreveu! tudo mesmo, ate os pequenos gestos e detalhes...

cristiano, parabéns pela compreensão do filme!
e outra, não é só fã que gosta dessa saga, sem mais a dizer...

Rodrigo Mendes disse...

O mais engraçado, curioso é que este filme é um dos poucos a retratar de "tesão reprimido" entre adolescentes. Que fantasioso não? rs! Idade onde o tesão é F...a! Mas aqui o que vale é o amor. É sutil, tem cuidado, não vi este LUA NOVA ainda, mas as personagens e o conceito deixam claro. Tampouco li os livros e pra ser sincero nem quero lê-los...é uma leitura mais feminina mesmo! Prefiro ouvir a mulherada, amigas minha, contarem a história e já ouvi viu...rs!

Eu gosto muito do tratamento que as mulheres dão as coisas...Meyer tem uma proposta diferente com essas personagens e dai-lhe milhões à ela por esta sacada!

É curioso um diretor como Weitz trabalhar com uma 'love story teenager' já que ele se envolveu na criação de AMERICAN PIE.

Aqui tudo é feminidamente fantasiado e nem vou discutir questão de gosto. Cada um tem o seu!

Cris, você disse o que queria saber,é uma interessante crítica esta suficiente e basta. Só me resta vê-lo em DVD.

Mas verei com minha tia a continuidade da saga no cinema. Promessa é dívida. Ela que vai pagar..rs!

Obra-prima ou não. Esta bem apimentado. E não sei qual fase da lua é mais gostosa para o amor...que bom que estamos falando de amor aqui...

Sem deboches sexuais..viva o amor..tesão é bom mas na monogamia.

E coitada da Bella, de vampiro a lobisomen , só falta ela se envolver com o monstro do lago Ness, rs!

ABS!

Mateus, O Indolente disse...

Em relação ao anterior, há uma grande melhora. Chris Weitz é melhor diretor que Catherine Hardwicke. E Taylor Lautner, relativamente, é melhor que o canastrão Robert Pattinson.

Cinema para Desocupados

@philipsouza disse...

Eu discordo de alguns.....vcs estão levando Lua Nova como a modinha de tanto falam....quando isso virou modinha já existia esses livros a seculos, a Summit (produtora) pelo sucesso nos EUA que resolveu fazer o primeiro filme Twilight (Crepusculo) e aqui a modinha pegou apos esse filme, agora o filme não é um livro, e ali querendo ou não estão para serem melhores pq tem que haver bilheteria para continuações. O contexto do fime ele foi passado, é passado mesmo como o do livro. Crepusuclo foi como conhecimento de Bella e Edward, perfeito mesmo, mesmo com algumas adaptações. Lua Nova bateu o recorde de fidelidade, eles fizeram as passagens como tinham de ser feitas...agora não vejo reclamação ai...bom cada um pensa de um jeito...mas repito FILME = ADAPTAÇÕES= BILHETERIA....não tem como vcs verem um filme de livro como está sendo agora...sem antes o lê-lo pq so ouvir não basta por isso gera a isso...e quando lerem reclamam pq nao foi 100% fiel, coisa que não tem como...Alias uma outra coisa...vcs não acham que o livro para ser aprovado pela editora não passa por mudanças??Logico que passa..não é o 100% da escrita do autor não, porque existe as correções, o que fica melhor aqui e lá....entãogalera rever o filme antes de fazer colocações....

fuiii

Amanda Aouad disse...

Ok, vou conferir Lua Nova, mas ainda não me convenceu a ler os livros, hehe. Pelo que leio do seu texto e comentários, acho que Edward é meio covarde, não? Esse medo da responsabilidade em relação àquela que conquistou ("Você é responsável por tudo aquele que cativas", já dizia o pequeno príncipe). Jacob parece um homem mais correto, acho que é por isso que tem tantos fãs. Mas, tudo isso é uma impressão de leiga, confesso, já que só vi o primeiro filme.

bjs

Luciano Carneiro disse...

Parabens pelo texto! Eu penso parecido. Gosto muito de Lua Nova e de Crepusculo, principalmente pela forte tensao sexual presente na serie. Seu texto e uma prova de que esse filme permite SIM uma leitura inteligente, e nao e apenas um filminho adolescente de meninas, como os criticos homens adoram dizer. Parabens!

Marcio Melo disse...

Ainda que tenha gostado um pouco mais de Lua Nova do que seu antecessor, o trama é muito fraca, me desculpe.

Falta mais tensão e um grande perigo, esse filme pareceu apenas uma passagem pra algo que vai acontecer em Eclipe.

Vamos aguardar.

bruno knott disse...

fala cris.
eu achei o primeiro filme muito ruim, mas sua crítica me deixou com muita vontade de ver a LUA NOVA. acho que tô com coragem suficiente agora!
hehehe

abração

dine disse...

é engraçado como bons atores salvam o dia mesmo q suas cenas sejam poucos segundos,pois bem,os tres vampiros que podem matar o edward,salvaram o dia e o filme,tão bons atores,ali sao vampiros de verdade[msm q em filme] eles sabem ter presença e fascinio nos mortais, vc olha,sabe q eles n sao confiaveis mas mesmo assim vc fica seduzido,caracteristica basica deles, e sao dissimulados...o filme apostou q botando dois cachorros p brigar seria mais dark e chamaria o publico masculino p cinema...hahah,so se os meninos forem acompanhando suas namoradas...assisti no cinema e ri horrores,n foi dinheiro jogado fora,pq as meninas gritando no cinema e sendo bem idiotinhas...foi perfeito! mas o filme? bah...

Elton Telles disse...

Olá Cristiano!

Gostei do seu texto e das percepções a respeito das diferenças quando Bella está com o vampiro ou o lobisomem. Mas acho que o filme é tão bobo, com cenas tão idiotas. Acho que o filme não conseguiu condensar todas as informações do livro. E olha que nem li o livro, mas é fácil perceber isso já que o roteiro fica perdido, vomita cenas desesperadamente e sem conexão com o resto da trama (Bella quase morrendo afogada?). Enfim, é melhor que o original, mas acho que isso não quer dizer muita coisa rs.


parabéns pelo texto,
ABS!

Mattheus Rocha disse...

Cristiano,

gostei muito mais do seu texto do que dos filmes da saga 'Crepúsculo'. Não li os livros, mas os filmes não me agradam nem um pouco, sinceramente. Acho que eles têm uma pegada 'teen',obviamente proposital, para vender mais e fazer sucesso entre o público adolescente. Considero os dois filmes da saga, simplesmente, muito ruins. O segundo até é divertido, mas muito fraco.

Abraços.

Flávio Gonçalves disse...

Apesar de bem escrito e argumentado e tomado de uma perspectiva muito interessante, não consigo concordar com o facto de achares que este é um bom filme. De todo, mesmo.

Abraços

Juliana... disse...

Obviamente n entrará pro roll dos grandes clássicos, mas o segundo filme da saga é anos luz melhor que o primeiro, pecando apenas no papel coadjuvante que o protagonista faz perante seu "romance ideal" com a mocinha... Jacob merecia ser mais destacado ainda... N li o livro, n tenho tesão em ler, mas concordo que os filmes n são fieis aos ideais da autora. Porém, ainda assim deixou a desejar... Mas parabenizo os efeitos espetaculares, fantásticos... Aquele vampiro apático, asexual... E até hoje me pergunto... QUEM N GOSTARIA DE UMA PEGADA DE JACOB? =* beijos meu biscoito, sempre com textos pontuais!

Juliana... disse...

ADOREI O EFEITO DA FOTO... ESQUECI DE PONTUAR ISSO NO COMENTÁRIO ANTERIOR!

VC BROCA!

8D

Renato disse...

Confesso que tenho um certo dificilmente pararia para asistir este filme ou ler este livro. Preconceito? Pode até ser. Mas não posso negar que diante deste post começo a me questionar sobre isso. Pela primiera vez vejo alguém flar sobre esta história de um ponto de vista diferente do que só um monte de vampiros e lobisomens adolescentes representando os velhos clichês Hollywodianos. De uma coisa pode ter certeza, se algum dia eu parar para assistir este filme a culpa vai ser sua. rsrsrsrsrsrsr

Um grande abço!

Reinaldo Glioche disse...

Sinceramente Cris, até vejo esses pontos na saga Crepúsculo e em Lua nova em particular. Mas eles nunca, na minha opinião, são trabalhados a contento.
O segundo filme é, de fato, superior ao primeiro. O que não lhe abona muito. Uma vez que as atuações (a parte Taylor Lautner, que está muito bem) continuam sofríveis e o tom de ópera não funciona muito bem nessa "tragédia" adolescente. Mas é bom entretenimento. Isso é inegavel.
ABS

Palatus disse...

Também assisti a este filme, e não fui com muitas espectativas; mas amigos me convenceram. Gostei...concordo com seus argumentos. abraço

Catarina Norte disse...

Belíssimo texto! Uma excelente análise à história dos filmes/livros!
Por acaso,gostei mais de "Crepúsculo" que de "Lua Nova". Talvez por entretanto já ter lido os livros e achar que houve algumas falhas na adaptação...por exemplo, achei que a transição de Bella para a relação com Jacob não foi tão bem conseguida (mas claro que isso também tem a ver com os limites de tempo impostos para o filme e, ainda mais, com a minha própria interpretação do livro!). Mas também gostei de "Lua Nova" e acho que de uma maneira geral o espírito do livro foi bem transposto para o ecrã! A banda sonora é novamente um ponto forte e as interpretações dos 3 protagonistas são razoáveis; as cenas em Itália são das melhores conseguidas!
Para concluir...um dos pontos de maior fascínio para com a saga, pelo menos para mim, é de facto essa dualidade entre o amor/desejo/tensão e a não consumação da relação (digamos assim), tendo-se de facto um amor casto e pueril, mas nem por isso menos forte...uma aura de romantismo imensa!

Continuação do óptimo trabalho! ;)

Cumprimentos

@adrianaarndt disse...

Você escreve muito bem, mas não vejo maneiras de falar sobre essa "saga" sem ser ofensiva.

Ane C. disse...

Amei... descreveu perfeitamente o livro! adoro a saga, tenho tds os livros, e odeio qnd alguem vem criticar. Qm nao gosta, q ao menos respeite o gosto dos outros!
Ainda nao axei resenha melhor que a sua... Parabéns!

meu blog

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses