Violência Sexual

A problemática desenvolvida ardentemente no filme Sleepers - A Vingança Adormecida é justamente na busca pela superação. 4 garotos inseparáveis (Brad Renfro, Joe Perrino, Jonathan Tucker e Geoffrey Wigdor) cometem um deslize inconseqüente, em pleno período dos anos de 1967, na adolescência imatura transviada. E, tragicamente, são condenados à prisão no reformatório infanto-juvenil terminantemente e lá recebem todos os tipos de maus-tratos, ofensas e todo tipo de violência sexual. Estuprados constantemente pelos guardas, os garotos sofrem traumas incondicionais e estes abusos ficam cicatrizados tanto na carne, quanto na alma. São atirados em cestas de lixo, surrados e torturados sem piedade. O que fazer perante um sistema carcerário tão precário? A promiscuidade é revelada dentro da prisão: os guardas são personificados com bastante cinismo, uma overdose de luxúria maldosa, típicos seres com crises de personalidade? Os guardas têm apreço pela sodomia (palavra de origem bíblica usada para designar as perversões sexuais, com ênfase para o sexo anal) e cometem os atos mais depravados, sem arrependimento. Toda a perversão é demonstrada: os jovens são alvos de sexo toda a noite na instituição correcional, são obrigados a praticarem sexo oral nos guardas e servem de próprio alimento sexual para os maníacos.

Os estupros são segredados entre eles, o sofrimento é diário e a humilhação é árdua. Como se libertar da dor de ser violado, agredido e observar a própria perda da moralidade? O que dizer da integridade perante algo subordinado ao sórdido humano? Como viver o próprio inferno de vida? Eis que o contra-ataque ocorre anos depois: libertos e já adultos, os 4 tomam rumos opostos. Johnny e Tommy vivem como bandidos, imersos na criminalidade. Lorenzo e Michael são mais próximos. O sentimento de vingança torna-se uma obsessão desmedida. O trauma é reaceso, chega o momento dos 4 buscarem a justiça. O filme é baseado no livro de Lorenzo Carcaterra, que afirma ter vivido na própria carne as experiências demonstradas. O roteiro, adaptado e dirigido com intensidade por Barry Levinson, exerce um tom realista sobre a subversão humana, os mais cruéis atos de insanidade e a própria tristeza de não libertação diante de agressões vivenciadas.

No filme, observamos tudo pela ótica do narrador Lorenzo, através dele observamos o violento mundo e como sua vida foi contaminada por tamanhos infortúnios. Tanto ele, quanto os amigos jamais foram os mesmos após os estupros, tamanha violência sentida na pele. A inocência foi perdida assim que aqueles garotos entraram no reformatório, em todos os sentidos. Tommy e John são os mais afetados pelos traumas, isso demonstra a sua formação de caráter: tornam-se frios, calculistas e assassinos. Psicologicamente, os garotos desenvolveram manifestações da tortura psicológica: tendo bloqueados seus esforços de auto-aceitação, isolamento emocional e dificuldade de lidar com sentimentos. Ao crescerem, desenvolveram mais ainda a perda da auto-estima, mais fragilizados e retraídos. Evidente que o trauma causou a depressão, o caráter transviado e certa repressão. O ser humano é reflexo do que vivencia?

Kevin Bacon interpreta o guarda principal Sean Nokes, com bastante precisão: sua malícia, sua interpretação é sórdida e surpreende com tamanha intensidade maligna, um ser humano dotado de tantas doenças de alma e personalidade - sua índole é psicótica, doentia em atos de pura sodomia pervertida. Bacon personifica um estuprador com muito talento, intimida como um opressor perverso. O panorama do melodrama mesclado ao thriller elétrico de densidades, nuances e crueldade é pontuado emocionalmente com a trilha sonora intimista de John Williams. O roteiro prioriza também o submundo nova-iorquino e através dos protagonistas são conceituadas questões de corrupção, marginalidade, educação familiar e religiosidade. Como uma criança se liberta de tantas atrocidades? E o que é transferido para maturidade? Jason Patric e Brad Pitt interpretam dois dos sofridos garotos na fase adulta: Lorenzo Carcaterra, jornalista e o outro é Michael, advogado - sendo que Brad Renfro tem uma atuação voraz como Michael, na fase da adolescência.

Um misto de delírio melancólico, estudo sobre as motivações pessoais contra a corrupção da perversão sexual. Acima de tudo: a luta pela vingança e um basta à desordem desenfreada da violência sexual. Até que ponto deve-se observar o sentimento de vingança como algo necessário? Além disso, o roteiro apara as arestas com um simbólico valor sentimental da verdadeira expressividade da amizade incondicional: os quatro amigos são frágeis, inseparáveis e dependem sempre um do outro. A superação dos traumas seria na coletividade? Até quando o ser humano agüenta ser molestado e permanecer calado? Eis que a vingança é um prato que se come frio.

38 opinaram | apimente também!:

Raphael Ribeiro disse...

Eita... Polêmico mesmo, mas nada que não nos remete algo realista, não é verdade? Suas perguntas finais são totalmente complicadas de se responder, cris!

Vale uma dica para ver esse filme. Boa crítica.

Abraço!

Serginho Tavares disse...

Brad Renfro era um ator promissor que foi embora muito cedo

Rafael Cotrim disse...

Preciso parar de vir nesse blog! --"

Vou falir de tanto alugar filmes EHASUHUESA!

Abraços querido ;)

Renato disse...

Excelente crítica. Gosto do modo como vc desmembra o filme. Realmente este é um dos filmes que mostram uma realidade mais cruel. Com ótimas atuações realmente.
Não sei se vc sabe mas Kevin Bacon em 2004 voltou a encarnar um pedófilo no filme O Lenhador, só que de outro ponto de vista diferente do guarda deste filme.
Uma dica, que não sei se vc conhece e continuando neste tema, é o filme Misterios da Carne. Particularmente achoq ue é o filme que melhor retrata as consequencias de quem passou por isso.

Parabéns mais uma vez!
Um abço!

Paulo [ALT] disse...

Cris,

Antes de dizer qualquer coisa... que pôster é esse? Muito bonito né?

Bom, você tinha sim me contado sobre esse filme... mas eu... errr... meio que não pesquisei muito a fundo e por isso agora te agradeço: muito obrigado pelo post. Sabe, me lembrou uma espécie de mistura de O Expresso da Meia Noite com um quê de Sobre Meninos e Lobos. Eu já te falo desde já, vou procurar SIM o torrent e vou baixar SIM. E depois quem sabe ainda volto pra comentar. Igual o post do Amor Estranho Amor que ainda não revi pra ir lá [eu não esqueci naun, rs] Ok, preferia comprar se soubesse dele em dvd mas... estamos sem patrocínio por hora... mas é um filme que mesmo não tendo assistido adorei seu modo de escrever. Acho que foi um dos mais... caramba, um dos mais bem elaborados em tudo. Por isso você estava quietinho ouvindo a trilha do John Williams né? haha

Suas perguntas são mesmo muito complicadas pra responder mas exercem um poder de alto escalão dentro das suas abordagens antroplógicas, sociológicas, filosóficas, psicológicas... sexuais.. humm... Essas questão de justiça e bem interior nada por ai em alguns filmes... mas só alguns conseguem ser, como eu diria, sabe tocante? Te aproxima ao drama vivido sabe? A perda da própria moralidade, crianças se libertando dessas atrocidades... sério, não sei o que comentar.

Um dos seus melhores posts, reflexão.. tudo. Parabéns mesmo! Mesmo!
To indo procurar, rs. hum.
Abraçãoo Contreiras rsrs ^^

Lai Paiva disse...

Cristiano, esse teu espaço é muito rico mesmo viu? Bjs

Kamila disse...

O filme é polêmico e bem atual, mas eu tenho assim uma certa coisa com a vingança. Acho que ela nem sempre às vezes paga o sofrimento e não traz conforto, mas essa é somente eu! Cada um sabe do seu sofrimento.

RAMON(ES) disse...

Eu vi esse filme no cinema faz tempo, nem lembro de muita coisa.

Leandro blogger disse...

Sem palavras, literalmente.

Madame Lumière disse...

Olá Cris,

Ótima crítica, como sempre!

Na verdade, acho que cada um encara a vingança de uma forma assim como os dramas que geram o desejo de vingança. No caso desse filme a humilhação foi tremenda, ferindo não só o psíquico mas o corpo físico. A humilhação pode catalisar um afastamento ainda maior da fonte das dores ou gerar um ímpeto vingativo de aproximação para dar "o troco". Depende da situação. Acho que a vingança é um prato que se come frio, mas maior vingança é apagar certas pessoas maldosas da mente. Na verdade, a melhor vingança é torná-las desprezivelmente transparentes.

bjs!

Rodrigo Mendes disse...

Filme notório.

Lembrar do Brad Renfro é sempre gratificante. Uma perda lastimável. Era um talento soberbo, desde 'O Cliente'e ' A Cura'. Adoro uma banda que ele era vocalista..já próximo ao fim da vida: FRODAD Procure e ouça. Além de tudo ele tinha uma bela voz!

Quanto ao filme. Ele é ótimo, tenso e muito bem selecionado, o elenco acerta em cheio. Gosto muito do trabalho do Robert De Niro, Dustin Hoffman, Bruno Kirby, Billy Crudup e até da Minie Driver.

O Brad Pitt e o Jason Patrick dão a maturidade e superação ao filme.

Filme com temática "vingança" tende a nos deixar sementes para serem plantadas. Quando eles crescem, viram uma floresta, na qual é difícil sair...assim é a vingança!

No filme ela até que permaneceu adormecida por muito tempo, mas o Kevin Bacon faz um canalha escroto tão magistral, que queremos ver ele sangrar!

Cris, foi bom lembrar desta pequena e subestimada obra. Faz um tempo que nao assisto. Deu vontade de revê-la.

Adorei a Sodomia entre parênteses e a observação que fez quanto ao John Williams. Um trabalho bem diferenciado dele, outro igual é no filme 'Louca Escapada'(primeira parceria com Spielberg. Veja!)

O melhor filme do Barry Levinson. Alias que fim deu este diretor talentoso? Sua carreira depois andou meio Sleeper! Não?

Abs!

Roberto F. A. Simões disse...

Olhe foi um dos filmes que mais vi quando era adolescente. Passava imensas vezes na TV. É um bom filme, com um argumento bem desenvolvido e adaptado à tela, competentemente realizado e magnificamente interpretado.

4/5

Cumps.
Roberto Simões
CINEROAD – A Estrada do Cinema

Antônio Moura disse...

Agora ferrou. Não sei se vou ao cinema assistir a Sherlock Ritchie ou se fico em casa e alugo Sleepers. Assim fica difícil, Sr. Cristiano!

Marcio Melo disse...

Já assisti este filme 2 vezes pelo que me lembro, e é realmente muito bom.

Ygor Moretti Fiorante disse...

Ótimo filme , mas preciso rever faz bastante tempo que assisti.

Kahlil Affonso disse...

Exclenete filme! Um elenco recheado de estrelas, roteiro polêmico e muito bem estruturado e direção extraordinária de Barry. Não entendo como um filme desses ficou de fora das grandes premiações em 1997.

http://cinemaemdvd.blogspot.com/

Wallace Andrioli Guedes disse...

Eu vi SLEEPERS há um tempinho... mas me lembro de achar nele um dos maiores exemplos de irregularidade em um filme. A primeira metade, com a infância dos personagens, e principalmente com a passagem deles pelo reformatório, é brilhante. De arrepiar. Depois, quando começa o plano de vingança, e os adultos entram em cena, acho que o filme se perde totalmente. Até porque Kevin Bacon, o melhor ator do filme, acaba saindo de cena rapidinho...

Rodrigo Nogueira disse...

Olá Cristiano!

Percebo neste filme duas questões principais:

1- A questão do estupro realizado pelos policiais não se caracteriza necessariamente pelo homossexualismo, mas sim pelo descontrole de uma parte da natureza humana que é ávida pelo sentimento do poder. O prazer dos policiais não vem pela sensação sexual simplesmente, vem pelo fato de subjugar e com isso se engrandecer, desafogar sua mediocridade e tornar-se por alguns momentos superior. Claro que isso é potencializado pela sensação sexual, mas mais pela violência impetrada.

2- a questão de que por mais que tratemos várias pessoas com as mesmas "medidas", o resultado nunca será o mesmo para todas; ou seja, o "meio em que se vive" não é o único fator de influência nos traumas e na formação do caráter, talvez nem o maior; é apenas mais um componente, como também os são a índole, a personalidade, a "bagagem anterior", etc. Prova disso é o fato de que cada garoto reagiu de forma diferente quando tornou-se adulto. Trazendo isso para a vida cotidiana, chego a conclusão que o ensino para as crianças, tanto na escola como na criação em casa, devem ser individualizados de acordo com as características de cada um.

Já sobre o filme em si, não irei repetir as justas observações que fez. Faço apenas uma crítica: a parte em que os policiais/instituição são levados à julgamento é patética. Os argumentos são tão ingênuos e pouco embasados que fariam qualquer estudante de direito acabar com Jason Patric e companhia diante de um juiz. É uma pena o filme ter se perdido. Tinha potencial para ser Grande...

Abração!

Rodrigo Nogueira disse...

À propósito, vi um filme recente (2009) com o Brad Renfro: Informers, A Geração Perdida. Ele está irreconhecível. (até postei no blog...)

Jr Vilanova disse...

Conheço esse filme. Muito legal mesmo.
Jr.

Arthur Damaso disse...

Este é um dos melhores blogs que já visitei, muito bom!... Passarei sempre por aqui!

Ah! Obrigado pela visita na Arca Perdida... Valew!

Reinaldo Glioche disse...

Olha o sleepers aí...
boa crítica Cris. Pois é, a inocência perdida é um fetiche do cinema não é mesmo?!

Vc sabe o que penso em relação ao filme né?
Gostei de suas divagações!
Grande abraço!

Amanda Aouad disse...

Nossa, vi esse filme há um bom tempo, nem lembrava mais, foi bom recordar em suas palavras. Tenso e profundo mesmo. Muito bom, apesar de concordar com Kamila em relação à vingança.
abraços

Mero disse...

lembro do mal estar que fiquei quando vi esse filme , no lugar dos rapazes violentados nao sei o que faria contudo nao acredito que a vingança seja o melhor soluçao

Liana disse...

Eis que este espaço está em constante evolução. Gostei das pequenas mudanças que pude perceber.
E quanto a esse filme...é exato!
Emocionante e polêmico.
Confesso ter uma queda por 'filmes vingativos', talvez seja porque considero a vingança algo tão cinematográfico.
Bjos. =D

Gilson disse...

Cristiano

Ótima escolha. Esse filme é fantástico, profundo porque envolve sentimentos importantes das pessoas. Nem eu que sou contra a vingança me senti mal com qual fosse a cena, porque essa seria a única forma que eles tinham de resgatar o passado e dar um fim nessa prisão sórdida.

Abs

JRonson disse...

Reamente seu blog é tao cultural ! adorei a divulgaçao dst filme e mt bom tb :O boa critica

Jardel Nunes disse...

Um ótimo filme, grandes atores e grandes atuações...
Apesar de ter o filme em casa, faz um bom tempo que não o vejo para poder discuti-lo mais a fundo, mas o seu texto mostra muito bem os sentimentos passados com o filme.. Principalmente a parte deles no reformatório..

Sandra Ribeiro disse...

Eu vi esse filme no cinema, muito bom mesmo!!! Deu vontade de revê-lo, vou baixar aqui pra assistir com a minha filha.

Weydder "de far far away" disse...

Obrigado por seguir o Qiideias, fico feliz por ter agradado. Receba também as devidas congratulações pelo apimnetário. Estamos juntos sustentando a bandeira: 'Vida inteligente na Web' Abraços.

Daniel disse...

Não sabia nada sobre esse filme, e olha que costumo ver uma média de dois novos filmes por semana. Mas esse não sabia nada.
Gostei, apesar do peso que o filme nos trás, ainda mais sabendo que é uma história real.
Não é novidade alguma que o sistema prisional é um lixo, e no mundo todo, importante frisar isso.
Valeu pela dica.
abs

Luis Galvão disse...

Realmente um filme que intriga bastante. Acho que o sentimento de vingança sempre rende bons filmes rsrs.

Tiago Fagner disse...

Pela sua descrição eu creio que já vi esse filme, apesar de não recordar o nome. É um daqueles que te deixam sem saber como reagir quando termina.

Têffo disse...

eu não assisti mesmo, mas agora fica aquela vontade de tentar responder, adequandamente, às perguntas.
sucesso.

O Cara da Locadora disse...

É um filme que me causa arrepios até hoje... A maldade humana não encontra limites ao vermos um filme como esse... Sensacional...

João Paulo disse...

Fiquei instigado!

LuEs disse...

Anteontem eu fui à locadora e por algum motivo eu parei diante da sessão de suspense e comecei a ver os títulos que estavam por lá. Esse foi um deles e algo me chamou a atenção nele - a imagem de capa parece bastante assustadora e ela própria parece entorpecer quem a vê, já dando uma perspectiva clara da sensação que sentiremos ao ver o filme. O contraponto é a aparição de Kavin Bacon na capa, já que esse ator me desestimula totalmente, mas mesmo assim acredito que vou vê-lo normalmente, porque um ator sozinho pode não estragar um filme.

Pela primeira vez, notei que você detalhou a sinopse do filme, tornando-a clara no seu texto - não costuma fazer isso. Sabe, eu acho que o ator (??) Kavin Bacon tpersonifica bem um estuprador porque ele tem mesmo cara de marginal, talvez isso ajude.

Mesmo com o que li atrás do box do filme, achei que fosse interessante, mas nem tanto. Todavia, com o que você escreveu, devo vê-lo logo, certo?! É o que farei...

Antônio Moura disse...

Assisti ao filme no domingo. Genial! É a verdadeira anatomia da vingança. A cena em que o carrinho de cachorro quente sai rolando pelas escadas do metrô me fez lembrar da cena do carrinho de bebê em O Encouraçado Potenkim. Abração e obrigado pela dica!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses