Mães e filhas

O cinema de Pedro Almodóvar sempre se caracterizou por uma visão aguçada da psicologia feminina. Outra virtude do diretor espanhol é o uso de vários gêneros ao longo de um mesmo filme. Ora há uma comédia escrachada, ora um melodrama típico das novelas mexicanas, ora o clima de suspense dá as cartas na narrativa. E não é que o gênio espanhol consegue percorrer todos esses gêneros com maestria? Em Volver, a feminilidade é personificada com sensibilidade, o melodrama é firmado em relações familiares e a mise-en-scène bem concebida. Com toques sutis de humor aliado ao dramático panorama meio trágico, meio exagerado, o enredo foca em Raimunda (Penélope Cruz): típica trabalhadora, escrava do sistema, mãe dedicada e que sustenta o marido desempregado. A trajetória da atraente mulher é delineada com o seu envolvimento com outros personagens - sua irmã, sua tia, mulheres que servem de amparo à sua existência. A aparente tranquilidade se predestina na reviravolta: a filha adolescente de Raimunda quase sofre abuso sexual do pai e, pra se defender da violência e da atrocidade, assassina-o com uma facada. A provocação do roteiro externa a emoção, a partir daí. Neste filme há um Almodóvar menos criativo, mas não menos correto e denso - a direção é centrada, característica fundamental em todos seus filmes. Há dramas tangíveis, reais e repletos de emoção apurada pelos personagens.

Somente no universo Almodoviano há esta deliciosa abordagem mesclada de alma, corpo e sentimentos femininos para dar vazões a situações sinceras do ser humano: entraves familiares? Carência de mãe com filha? Sim, a força narrativa é proveniente da estruturação de personagens tridimensionais com nuances, tons psicológicos e detalhes comportamentais expressivos em certas falas, pequenos olhares. É um filme que aborda a sobrevivência, todos os personagens lutam para sobreviver de alguma forma - sobreviver de amor, de felicidade, prazer ou mesmo para respirar uma solução pra uma vida quase perdida. Obviamente, a contextualização da figura da mulher é bem torneada: sexo frágil? Sim, mas verdadeiramente decidida - nota-se em Raimunda este vislumbre de caráter: senhora do destino, leoa materna que jamais se abala com os contratempos árduos da vida. Desempenha seu papel de fêmea independente, mas também é condicionada à prisão de uma vida insatisfatória. Como viver mais feliz?

Almodóvar tem o poder em formar vidas, humaniza seus personagens deliciosamente - choram, gritam, provocam sorrisos de emoção. O enredo traz elementos reflexivos: busca por afetuosidade, perdão/redenção, doenças terminais, superação. Como buscar felicidade? Há filha querendo amor de mãe e vice-versa, há tato de sensibilidade no roteiro – este transmite: os personagens tentam acertar contas do passado, carregam segredos e buscam dissipar os ressentimentos guardados. Neste cenário intensamente colorido de vermelho, feminino melodramático (é uma overdose de mulheres em algumas cenas) - é um filme que fala de vida e morte em seu sentido real e completo, com todas as adversidades, todas as dificuldades, alegrias e toda a tristeza que elas podem trazer. Só Almodóvar para tratar de assuntos tão próximos, nada nele é raso.

O cerne da densidade de Volver é no abuso sexual de pais contra filhas, há mais de uma situação nesse sentido envolvendo as personagens da família central - duas irmãs (Penélope Cruz e Lola Dueñas), a filha de uma delas (a talentosa jovem Yohana Cobo) e sua mãe Irene (Carmem Maura) que, "morta", volta para cuidar de problemas não só delas quanto de sua própria irmã (Chus Lampreave) e uma grande amiga da família (Blanca Portillo). Decerto, no universo Almodoviano o papel desencadeador da tragédia é um personagem masculino: esse elemento é Paco, o marido vagabundo e tarado de Raimunda. Eis que é puro prazer observar uma Penélope Cruz com seus decotes deslumbrantes (elétrica, ativa, esfuziante e sexy), charme interpretativo, brilho em cena: canta, chora, atua com precisão - a sua lágrima tão solta como o seu sorriso cativam. A dinâmica na montagem, os planos em close-up e a perspectiva na emoção do olhar de Raimunda em relação aos outros personagens sustenta o quão estilosa é a película. Um filme que fala a língua do povo - a língua da vida?

31 opinaram | apimente também!:

Alan Raspante disse...

Ahh, vou comentar em um filme que eu vi (aleluia!) rs !
Eu sei que perto dos outros trabalhos do Almodóvar esse é considerado o mais fraco, mas para mim é o melhor (claro, ainda não vi os principais filmes do diretor hehehe). Eu gosto do estilo cômico, do jeito que a história se desenrola e como elas se concertam, é um filme bonito e fácil compreensão. E, claro com isso tudo ainda tem a Penélope, que sinceramente, eu amo ! hehehe

Jenson J, disse...

Almodovar é um cineasta brilhante, mas aqui trata-se de sua obra mais fracam parece um pouco sem a sua ousadia normal.

LuEs disse...

Todos parecem adorar esse filme de Almodóvar. Quando o vi pela primeira vez, eu não o entendi - achei-o muito disperso, estranho e fantasioso demais. Ao revê-lo, continuei com uma opinião semelhante, o que me leva a crer que ainda não entendi a essência do filme.

Reconheço nele o caráter expressivo dos filmes desse diretor: a alma feminina é o seu foco, as cores intensas estão presentes, há mistura de gêneros. Ainda assim, não foi um filme que me tocou, diferentemente dos filmes Má Educação e Fale com Ela.

Talvez deva vê-lo pela terceira vez, a fim de expandir minha perspectiva, tentando enxergar as entrelinhas (se é que elas existem). Muito boa a sua descrição do filme. Se eu não o tivesse visto antes e já tivesse uma opinão pré-formada, eu decerto estaria convencido a vê-lo imediatamente.

[i]P.S.: a cena em que Penélope Cruz vai ao banheiro e diz "que cheiro de peido" é - apesar da frase e de sua expressão - linda![/i]

Jakeline Magna disse...

Adoro passar por aqui, sempre um belo post. Parabéns pelo excelente blog. Feliz e abençoada Páscoa para você e sua família.
Abraços da amiga Jake

! Marcelo Cândido ! disse...

Penélope é showww
!!!
...

Mirella Santos disse...

Como eu já te disse nunca vi um filme de Almodóvar, mas prestando bastante atenção nessa história parece com uma que aconteceu aqui perto de casa, toda essa cena de mãe "elétrica" que sutenta marido e a filha matou o pai, foi igualzinho mesmo a história daqui de perto. Ih, será que Almodóvar se inspira nessas histórias de vizinhaça?!
Assim que surgir a oportunidade eu vejo um filme dele Blogmurus, bjos!!!

Cristiano Contreiras disse...

ALAN RASPANTE: Um ótimo filme, eu também considero um dos melhores!

JENSON J.: Eu acho um filme ótimo, pra que mais ousado? Ele é um filme humano, acima de tudo! E o simples pode ser...ousado!

LUES: Eu adoro este, ainda que prefira outros anteriores! Reveja, sim!

JACKELINE MAGNA: Muito obrigado!

MARCELO CÂNDIDO: O filme também é show!

MIRELLA SANTOS: Almodóvar fala a lingua da vida! Beijo, blogmurus!

leo disse...

Como já disse Volver é um dos meus filmes preferidos e o time de atrizes do filme é INCRÍVEL !
Penélope Cruz e Blanca Portillo dão um show em cena.
Texto incrível ! abraços

Luigi Lopes disse...

Mais um excelente post sobre o grande cineasta Almodóvar. Depois de Todo sobre mi madre, Volver é o meu predileto do realizador espanhol. Gostei muito de sua análise, consegui através dela rever o filme mentalmente. O que mais me interessa em Volver, além da bela atuação de Penélope é justamente a questão das relações que se dão no âmbito feminino e que você já deixa bem explícito na própria escolha do título do post. Abraço!!!!!

Wenndell Amaral disse...

Volver foi o primeiro e único filme do Almodóvar que assisti. Gostei muito. Assisti junto com alguns amigos e com minha namorada, todos gostaram. Pretendo adentrar no mundo de Almodóvar, assistir todos seus filmes e poder conhecer a totalidade da obra desse artista do cinema.

Marcos Eduardo disse...

Cris, Feliz Páscoa, meu amigo!

Alguns comentarios foram sobre disperso, solto demais, sem enredo... mas as nossas lembrancas, em alguns momentos nao sao desta maneira? Pedro neste filme quis falar de "lembrancas" e por isso, o enredo da producao eh solto, despojado e MARAvilhoso. Voltar à infancia, de cheiro de cafe pela casa, a presenca de tantas mulheres eh pq a casa dele era assim, ele quis homenagear isso! Simples, mas rico na essencia. Item obrigatório em toda colecao de cinema. Neste filme vimos tambem o reencontro entre Pedro e Carmen Maura (os 2 tiveram desavencas no passado e nao se falavam ha anos). Enfim, quem ainda nao viu, definitivamente, nao sabe o que estah perdendo e quem ainda nao compreendeu, reveja!

Abraços.

Mayara Bastos disse...

Gosto deste filme, e achei os conflitos bem trabalhados aqui. Precisa de uma revisão de minha parte.

Beijos e uma ótima páscoa! ;)

Júnia L. disse...

Meu comentário é o mesmo que fiz no blog do alan:
Volver é um filme que particularmente gosto muito, não é o melhor de Almodóvar – prefiro “Tudo Sobre Minha Mãe”, mas é extremamente interessante e rico em todos os sentidos. Gosto muito das cores usadas pelo diretor em suas produções - uma das características marcantes de Volver - e da paixão que ele tem por suas atrizes. Acho interessante essa “coisa” de sempre selecionar as mesmas estrelas para protagonizar suas histórias – Penélope Cruz, Carmen Maura, Lola Dueñas e outras.
Almodóvar tem a incrível capacidade de alternar momentos cômicos e dramáticos sem nunca cair no clichê além de conhece a alma feminina como ninguém As tramas sexuais de suas histórias são característica marcante do diretor, no caso de Volver - a tentativa de estupro entre pai e filha.
Filme muito interessante e para gosto de poucos...

Rodrigo Mendes disse...

Retornar as raízes foi uma das melhores temáticas de PEDRO nesta sua nova fase da carreira.

Nada mais espanhol, regional. Aqui ele explora os costumes aracaicos de uma aldeia, uma pacata sociedade de senhoras fofoqueiras do século XIX, rs!

Penélope LINDA!!! Carmem Maura exuberante no seu retorno com o diretor. O elenco todo acerta. A CHUS sempre fazendo participações(eu amo esta senhora).

Adoro a sequência inicial dos créditos e isso prova que Almodóvar está longe de ser menos criativo. Porque são essas nuances e cultura cinematográfica que acho ele sempre genial. Roteirista primoroso e cada vez mais tecnicamente inventivo (LOS ABRAZOS ROTOS é a prova).

Assisti no cinema e nele vi cada pedacinho resumido de toda a obra e arte de Almodóvar.

E a Penélope dubla lindamente uma canção. Atuação no ponto. Adoro a expressão corporal dela neste filme.

VOLVER fala a língua das mulheres, rs!

Abs! E, Happy EASTER!!!

bruno knott disse...

Ainda estou para ver um Almodovar ruim...

Concordo quando você diz que este não é dos mais criativos, mas mesmo assim dá pra saber que é obra dele.

Penélope realizou uma performance memorável.

joyce domingos disse...

mais um notável filme de almodóvar...

como eu já disse aqui,o que mais amo em almodóvar são suas personagens femininas...todas tão fortes e humanas....

e neste aqui temos mulheres adoráveis de se ver...desde raimunda até irene...(carmen nmaura está demaaaaaaais neste papel...)

amei o humorr deste filme....
amei penélope neste filme....

aaaa...não consigo não aprovar tudo que pedro almodóvar faz!!

bjos cris^^

Kamila disse...

Para mim, esta é a obra prima do Almodóvar! E não poderia ter escrito sobre "Volver" de uma melhor maneira. Parabéns pelo lindo texto!

Mateus, O Indolente disse...

Almodóvar é um cineasta de talento. Mas deve-se estar no clima certo para ver seus filmes, pois o ritmo lento e os temas fortes podem incomodar.

Em Volver, o espanhol não convenceu. Às vezes interessante, às vezes mais arrastado que o normal. Penélope está ótima!

Abraço.
Cinema para Desocupados

Thiago Paulo disse...

Há, já disse aqui que adoro esse filme, e um dos meus favoritos. Pra mim é o melhor do diretor, e acredito que seja proque foi o que vi primeiro,. Outra coisa é que acho que essa é a melhor atuação de Penélope Cruz. É isso... Até + e valeu pelo comentário lá no blog.

Abraço

Cristiano Contreiras disse...

LEO: Dão show mesmo, filme perfeitinho!

LUIGI LOPES: Obrigado pelo expressivo comentário, concordo: Penélope está incrivel no filme!

WENDELL AMARAL: Pois, veja mais! Almodóvar faz bem pra...alma!

MARCOS EDUARDO: Caro, grato pela curiosidade!

MAYARA BASTOS: Revise, sim!

JUNIA L.: Assino embaixo no seu belo comentário!

RODRIGO MENDES: Sempre com curiosidades, né? rs E sim, fala a lingua das mulheres! Almodóvar é puramente...feminino! rs

BRUNO KNOTT: Concordo, ela estava soberba!

JOYCE DOMINGOS: Sim, sim! Filme fantástico!!!

KAMILA: Não considero a maior obra dele, mas chega perto, sim! rs

MATEUS, O INDOLENTE: Ah, neste comentário você foi indolente! rs Eu considero um ótimo filme e bem dosado!

THIAGO PAULO: Sim, vale muito pela atuação sublime de Cruz, abs!

Paulo Braccini disse...

Almodovar é e será sempre Almodovar ... mesmo as obras mais fracas dele são sempre superiores ao que rola normalmente nas telas ...

bjux

;-)

Thiago Ya'agob disse...

Boa tarde, Cristiano.

Que bom (depois de tanto tempo)’ volver’ ao teu blog e encontrar Almodóvar pulsando em vermelhos por aqui.

Volver é um dos meus filmes preferidos desse cineasta espanhol que já se consolidou na sétima arte. Algo interessante, e da mais pura criatividade revelado nesse filme aqui analisado, é encontrado no filme A flor do meu segredo (1995): “A personagem principal é uma escritora de simples romances. Em determinado momento de sua vida ela escreve uma obra-prima literária. Só que o livro é roubado e plagiado, e depois disso um diretor o adapta para o cinema. Lá pelas tantas um personagem faz uma rápida sinopse da história do livro, e sabe qual é a história? É o enredo de Volver." (Filme filmado por Almodóvar 11 anos depois da estréia de A flor do meu segredo).

Fica aqui a dica desse filme caso você ainda não tenha assistido.
Um abraço.

CarOl disse...

Adoroo esse filme,
a Penélope dá um show de atuação nele!!! Adorei esse jeito simples e bem latino como foi abordado toda a trama!!!
Bjuus

Gustavo disse...

Penso de maneira semelhante, o filme é um primor de sensibilidade na abordagem temática e de um apuro narrativo perceptível. E Cruz, uau, não sabia que ela tinha esse talento dentro de si.

Cumps.

Daniel disse...

Porra, esse é um filme que meu irmão pegou emprestado com o pai da namorada dele, eu comecei a ver de repente, mas precisei sair e deixei pra acabar depois. Ele, que não sabia que eu estava vendo, devolveu, e até hoje eu não acabei de vê-lo. Preciso terminar, pois me pareceu um ótimo filme.
Daniel

Marcelo Pereira disse...

Um dos grandes de Almodóvar: um argumento rico em simbolismos e alegorias, uma carga dramática na dose certa, e interpretações fabulosas. Grande Almodóvar, grande Penélope!

Abraço

Luiz Henrique disse...

Como cheguei a comentar contigo no MSN, vi esse filme na mostra de SP e dos que vi do Almodóvar, achei fraquinho, fraquinho. A temática do diretor - a psicologia feminina, como disse - por repetitiva que é, às vezes cansa. Mas ele é genial, claro.

Cristiano Contreiras disse...

PAULO BRACCINI: Almodóvar me define, rs!

THIAGO YA'AGOG: Grato pela visita! E já vi sim o A Flor do meu segredo! Muito boa essa relação dele com o Volver, né? Pura delícia, rs Só mesmo o mestre Almodóvar pra conceber essas ligações...e nem todo mundo nota.

CAROL: Pois é, ela está divina no filme! Beijo!

GUSTAVO: Ah, eu já sabia o quanto talentosa ela é! rs

DANIEL: Poxa, que mancada, rs! Trate de ver, viu? rs Depois me conte, rs!

MARCELO PEREIRA: Assino embaixo!

LUIS HENRIQUE: Puxa, que lástima você achar isso...mas, respeito, rs!

Verônica disse...

Grande filme, vale a pena.

Rafael Carvalho disse...

Adoro esse filme do Almodóvar muito por ele fazer uma autoretrospectiva da carreira, ele "volve" em sua própria filmografia para defender seu estilo, seus personagens, sua carga de autoralidade, e ainda assim fazer um filme maduro, dominando exatamente os recursos do cinema a seu contento. E Penélope Cruz nunca esteve tão bem num filme, esse deve ser o ponto máximo da carreira dela. O final é ótimo!

tallesazigon disse...

aluguei hoje para assistir com a minha mãe eu e elas choramos muito juntos, lindo d+ assisti milhões de vezes estou começando alugar sua indicações. muito útil seu blog para mim.

abraços

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Aperitivos deliciosos

CinePipocaCult Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos Le Matinée! Cinéfila por Natureza Tudo [é] Crítica Crítica Mecânica La Dolce Vita Cults e Antigos Cine Repórter Hollywoodiano Cinebulição Um Ano em 365 Filmes Confraria de Cinema Poses e Neuroses